Figueirense bate o Santos sem dó e Cuca pede demissão

Time catarinense chega ao quinto jogo sem perder, enquanto os santistas chegam ao décimo sem ganhar

Milton Pazzi Jr., estadao.com.br

16 de julho de 2008 | 22h29

Dez jogos sem vencer, penúltima posição na classificação, ameaça de rebaixamento e perda de técnico. A 12.ª rodada nem bem terminou e a situação do Santos neste Campeonato Brasileiro é a pior possível: o Figueirense venceu por 3 a 0, na noite desta quarta no Estádio Orlando Scarpelli, em Florianópolis (SC), e aumentou assim a crise do time paulista, que culminou com a saída do técnico Cuca. Desolado, ele anunciou que conversará com o presidente Marcelo Teixeira sobre seu pedido de demissão.Veja também: Cuca não comenta pedido de demissão do Santos Classificação Calendário / ResultadosÉ difícil acreditar que a equipe vá melhorar em pouco tempo pelo que mostrou em campo neste jogo. Afobação é a palavra que melhor resume o time. Os marcadores pareceram confundir antecipação e pressão com exageros e confusões. Domingos e Fabiano Eller fizeram faltas de todos os tipos e tomaram cartões. Junto com Rodrigo Souto e Adriano, foram facilmente envolvidos por Cleiton Xavier, Marquinhos, Edu Sales e Tadeu. FIGUEIRENSE3Wilson, Ânderson Luís, Bruno Perone, Asprilla e William Mateus (Leandro Carvalho); Diogo    , Magal    , Marquinho e Cleiton Xavier     (Rodrigo Fabri); Edu Sales     (Ricardinho) e TadeuTécnico: PC Gusmão SANTOS0Felipe, Apodi (Lima), Domingos    , Fabiano Eller     e Kleber; Adriano    , Rodrigo Souto    , Molina     (Wesley    ) e Michel     (Tiago Luís); Maikon e Kléber PereiraTécnico: CucaGols: Edu Sales, aos 27 e 47 minutos do primeiro tempo; Tadeu, aos 12 minutos do segundo tempo.Árbitro: Jaílson Macedo Freitas (BA)Público e renda: Não disponíveisEstádio: Orlando Scarpelli, em Florianópolis (SC)A jogada mais forte do time catarinense é o contra-ataque. E foi assim que conseguiram chegar aos gols. Marquinhos foi o maestro, passando três bolas para dois gols de Edu Sales e um gol de Tadeu. O primeiro foi aos 27 minutos, com Edu Sales recebendo o cruzamento e cabeceando sem precisar pular, para fazer 1 a 0. No segundo gol, aos 47 minutos, Edu Sales, agora, só chutou forte, rasteiro e cruzado para marcar.ARRUMAÇÃOCuca colocou os atacantes que tinha na mão em campo no segundo tempo: Lima, Tiago Luís e Wesley. E de nada adiantou, pois o time do Santos atacava sem a menor organização e continuava sendo envolvido pelo Figueirense. Domingos e Fabiano Eller chegaram a se empurrar em vários lances na área, deixando claro o desentrosamento e a confusão.Os contra-ataques perigosos dos catarinenses deram resultado rapidamente. Aos 12 minutos, saiu o terceiro gol do time catarinense, novamente após um passe de Marquinhos, agora para Tadeu, que já tinha criado outras chances e agora não desperdiçou a chance, cabeceando a bola para o gol.As alterações de PC Gusmão no Figueirense, por outro lado, deram resultado. Nem a saída de jogadores como Cleiton Xavier diminuíram o ritmo, tanto que com 40 minutos já pedia ao seu time para tocar a bola e segurar sua quinta partida sem derrota (três vitórias e dois empates). Magal, expulso direto de campo aos 41 minutos, estragou só o próprio dia e a chance de jogar contra o Fluminense, no sábado, no Rio. Do outro lado, os santistas não criaram nenhuma chance efetiva de gol. E viram seu goleiro Felipe ser ameaçado o tempo todo. "Está complicado, a gente tenta, tenta e não faz gol. Está dando tudo errado", resume. Pois ele nem terá muito tempo para pensar no que fazer, pois o próximo jogo é no domingo, contra o Sport Recife, na Vila Belmiro, onde a torcida não deve dar sossego. Nem mesmo para o técnico, seja ele quem for.

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.