Figueirense bate Vitória por 2 a 1

Fim do jejum. O Figueirense pode, finalmente, comemorar, neste domingo, sua recuperação no Campeonato Brasileiro da Série A ao derrotar, por 2 a 1, o Vitória, no estádio Orlando Scarpelli, em Florianópolis. A espera pelo triunfo teve fim no oitavo jogo da série irregular em confronto disputadíssimo diante da equipe baiana. Agora, com 38 pontos, o alvinegro catarinense sobe para 11ª colocação no torneio e terá a oportunidade de melhor ainda mais sua posição na próxima quarta-feira, quando recebe o Goiás. Já o Vitória (30 pontos), joga na quinta-feira, com o Flamengo, no Rio de Janeiro. Há um mês convivendo com empates e derrotas, o Figueirense entrou em campo disposto a marcar a disputa como o "jogo da virada". O primeiro tempo foi marcado por uma disputa constante pela posse de bola. Com a torcida a seu favor, começou pressionando a equipe baiana, mas sofreu alguns momentos de perigo, como aos sete minutos, quando o lateral Pedro surpreendeu a defesa catarinense ao arriscar um chute que parou na trave. Num contra-ataque, aos 11 minutos, Nenê foi derrubado na área. O pênalti, aos 13, foi bem cobrado por Izaias que pôs o Figueirense em vantagem no placar. O jogo ficou aberto no decorrer do período. Aparentemente satisfeito com a vantagem, o Figueirense cedeu espaços necessários para o Vitória assumir postura mais ofensiva. Sem se intimidar, a equipe baiana foi tomando as iniciativas e o prêmio à insistência veio aos 29 minutos em cobranças de falta do meia Allan Delon. Ele bateu colocado e no desvio na barreira, o goleiro Gustavo não teve reflexo suficiente para evitar que a bola o ultrapassasse. A intranqüilidade tomou conta do Figueirense. Aos 43 minutos, Paulo Rodrigues quase virou o placar numa tentativa de encobrir o goleiro Gustavo. Como tradicionalmente acontece, o Figueirense retornou para o segundo tempo com uma postura mais segura e ao mesmo tempo arrojada. O time catarinense criou chances, porém voltou a pecar pela falta de um exímio finalizador. Recém-contratado, o centroavante André foi uma figura nula no período e logo foi substituído. De constante participação na área adversária, coube ao zagueiro Cleber assumir a responsabilidade pela finalização. E foi num rebote do goleiro Felipe, após defender parcialmente uma cobrança de falta, aos 28 minutos, que o zagueiro alvinegro fez, de cabeça, o gol salvador. Reconquistando a confiança e com um jogador a mais - Allan Delon foi expulso aos 30 - o Figueirense reassumiu o controle da partida e com uma postura cautelosa conseguiu evitar que o Vitória criasse jogadas concretas no seu campo de defesa. "Estávamos sofrendo muito com esta situação. Foi suado, duro, mas conseguimos e estamos conscientes de que podemos produzir muito mais a partir deste resultado", comentou o goleiro Gustavo.

Agencia Estado,

29 Agosto 2004 | 18h41

Encontrou algum erro? Entre em contato

publicidade

publicidade

publicidade

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.