Figueirense busca maior valorização

O Figueirense inicia sua participação na Série A do Campeonato Brasileiro no domingo, contra o Vitória, embalado pela conquista do bicampeonato catarinense e com a contratação de quatro reforços: o zagueiro Márcio Martins, o lateral esquerdo Emerson Ávila, o atacante Evair e o médio volante Vágner Mancini. Animado, o técnico Vágner Benazzi renovou seu contrato até o final do ano: "As contratações estão chegando, aos poucos vamos nos acertando, temos tempo, portanto não vamos nos precipitar". Benazzi tem um respeitável histórico em uma carreira em que se especializou em trabalhar em clubes das divisões inferiores. Na sua opinião, "às vezes é mais interessante comandar uma equipe na Série B, que luta para subir, do que uma da A, que luta para não cair". O tradicional clube de Florianópolis está vivendo um dos seus melhores momentos, que começou com as mudanças administrativas implantadas pela atual diretoria em 1999. De acordo com o presidente do Conselho Administrativo, Paulo Prisco Paraíso, é conquistar uma valorização maior à equipe que teve o maior percentual de ocupação de estádio no campeonato brasileiro do ano passado. Para melhorar as acomodações, o Estádio Orlando Scarpelli, com capacidade para 24 mil espectadores, ganhará novos camarotes, visando atender a diretoria das equipes visitantes, membros da comissão técnica do clube e parceiros comerciais. Com essa ampliação, a imprensa que trabalha em dia de jogos no estádio terá uma área exclusiva para a cobertura das partidas. Outro investimento será realizado no Centro de Treinamento, que vai somar aos seus cinco campos para treinamento mais um para treinamento exclusivo dos goleiros das categorias de base e profissional. Time-base: Édson Bastos; Paulo Sérgio, Márcio Goiano, Eloy e Filipe; Marcinho, Luciano Sorriso, Bilu e Danilo; Roberto e Renato Santiago.Técnico: Vagner Benazzi.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.