Figueirense conquista título da Copa São Paulo de Juniores

Equipe de Santa Catarina derrota Rio Branco, no Estádio Nicolau Alayon, por 2 a 0, e fatura seu 1.º título

25 de janeiro de 2008 | 12h04

O Figueirense conquistou o inédito título da 39.ª Copa São Paulo de Futebol Júnior, nesta sexta-feira cedo, ao vencer o Rio Branco, de Americana, por 2 a 0, no Estádio Nicolau Alayon, na capital paulista, que nesta sexta-feira fez aniversário. Com este título, o Figueirense quebrou um tabu a favor de Santa Catarina. Antes apenas times de São Paulo, Rio de Janeiro, Rio Grande do Sul e Minas Gerais tinham levantado a taça. A inchada competição, com 88 participantes, abriu espaço para o sucesso de novos clubes.Para alcançar seu título, o campeão eliminou quatro representantes paulistas, sempre apontados como fortes concorrentes ao título: Palmeiras, União São João, São Carl Rio Branco0Alisson    ; Bruno, Rafael Santos    , Vander e Dênis; Thiago Melo (Joãozinho), Danilo, Thiago Silva (Índio) e Felipe; Hélerson e Isaac (Thauan)Técnico: Marcos SartoreFigueirense2Gustavo; Júlio, Rafael Lima, Luís Eduardo e Willian; Édson Galvão, Ricardo, Massari e Talhetti     (Franklin); Marcelo (Roberto) e Marquinhos (Jéferson)Técnico: Rogério MicaliGols: Marcelo, aos 36 minutos do primeiro tempo; e Marquinhos, aos 23 minutos do segundo tempoÁrbitro: Welton Orlando WohnrathEstádio: Nicolau Alayon, em São Pauloos e São Paulo. Curiosamente perdeu para outro paulista, o Pão de Açúcar, por 1 a 0, na primeira fase quando fazia parte do Grupo I. O jogo foi limpo e contou com a presença de bom público. Até o árbitro Welton Orlando Wohnrath não teve muito trabalho. A molecada, agora só participam garotos de até 18 anos, não cometeu muitas faltas e o juiz só mostrou três cartões amarelos no final do jogo. As melhores chances apareceram após os 30 minutos iniciais. O time catarinense abriu o placar aos 36 minutos, quando Massari tocou para Marcelo que chutou de bico. A bola entrou no canto esquerdo do gol do Rio Branco. Na frente no placar, o Figueirense entrou na segunda etapa com a missão de apenas segurar o resultado e quando possível contra-atacar. O time paulista foi com tudo para cima, mas os chutes de longa distância não estavam calibrados. Num contra-ataque, os catarinenses marcaram o segundo gol. Marquinhos recebeu a bola em velocidade, entrou na área e bateu cruzado, aos 23 minutos. E nos acréscimos, o Figueirense ainda desperdiçou uma penalidade máxima. Franklin cobrou e o goleiro Alisson defendeu. Na comemoração de entrega de medalhas, os campeões festejaram ao estilo de adolescentes, com a dança do siri, difundida pela Turma do Pânico, da Rede TV. 

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.