Figueirense e Internacional empatam sem gols

Os dois times perderam uma posição na tabela; o Figueirense ocupa agora a 12.ª colocação, e o Inter é 14.º

Rafael Carvalho, Especial para o Estadão

04 de outubro de 2007 | 23h30

Figueirense e Internacional empataram em 0 a 0 na noite desta quinta-feira em Florianópolis, numa noite em que os goleiros fizeram a diferença. Wilson e Clemer foram pouco instigados a trabalhar, mas garantiram o empate sem gols pelo Campeonato Brasileiro com belas defesas na hora em que foi preciso. Com a vitória do Flamengo frente o São Paulo, os dois times do Sul perderam uma posição na tabela. O Figueirense ocupa agora a 12.ª colocação, e o Inter é 14.º. Veja também: Classificação Calendário / Resultados O primeiro tempo foi de poucas oportunidades, e as melhores delas foram do Inter. Aos 13 minutos, Wilson começou a salvar o Figueirense. A zaga rebateu mal um cruzamento da direita e a bola sobrou para Magrão, que chutou à queima-roupa e obrigou o goleiro a desviar para escanteio. Aos 21, Gil roubou a bola da zaga adversária, passou por dois e, no momento de fazer o cruzamento, foi abafado por Wilson, que desviou para escanteio. O Inter recuava inteiro quando não tinha a bola, mas chegava com força nos contra-ataques. O Figueirense teve poucas oportunidades e quase não levou perigo ao gol de Clemer.Figueirense0Wilson; Felipe Santana; Chicão e Asprilla    ; Ruy (Fernandes), Carlinhos, Diogo, Thiago Gentil (Thiago Gentil) e André Santos; Jean Carlos (Frontini) e Otacílio Neto    Técnico: Alexandre GalloInternacional0Clemer    ; Alex    , Orozco    , Sorondo     e Jonas; Magrão (Adriano), Edinho, Wellington Monteiro e Guiñazú    ; Gil (Christian) e Fernandão (Pinga)Técnico: Abel BragaÁrbitro: José Henrique Carvalho (SP)Renda: Não informadoPúblico: Não informadoEstádio: Orlando Scarpelli No segundo tempo o Inter voltou melhor e teve quatro escanteios seguidos em poucos minutos, mas a pressão não surtiu efeito. O time da casa perdeu o meio de campo, congestionado pelos gaúchos, que quando tinham posse de bola, também atacavam em bloco. Foi assim que, aos 15, Gil recebeu ótimo passe de Magrão dentro da área, mas foi travado pelo zagueiro Felipe Santana. Aos 17, Wellington Monteiro colocou a bola na cabeça de Fernandão, que subiu no segundo pau e testou para fora, assustando Wilson.  Na metade da segunda etapa, o técnico Alexandre Gallo resolveu mexer por atacado e colocou Fernandes, Frontini e Alexandre. O time catarinense melhorou e o jogo ficou mais aberto. Aos 40, foi a vez do Figueirense pressionar e conseguir três escanteios seguidos. Chicão cruzou fechado e Clemer se esticou para desviar novamente para escanteio. Em outra chance do Figueirense, aos 42, Clemer garantiu o empate fazendo excelente defesa em um chute por cobertura de Frontini.

Encontrou algum erro? Entre em contato

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.