Figueirense empata com o Vasco no Rio

O Figueirense soube aproveitar a nova chance e, beneficiado pelos erros de arbitragem, empatou com o Vasco, por 3 a 3, em São Januário, a partida anulada pela 18ª rodada do Campeonato Brasileiro, por causa do escândalo da ?Máfia do Apito?. No primeiro confronto, o time carioca havia vencido por 2 a 1. Aclamado pela torcida do Vasco, assim que entrou em campo, o atacante Edmundo, do Figueirense, fez o primeiro gol, aos 17 minutos da etapa inicial, em um forte chute no ângulo esquerdo do goleiro Roberto. Em ?retribuição? ao carinho dos torcedores cariocas não comemorou o triunfo. No restante do primeiro tempo, o que se viu foi um Vasco tentando empatar a partida. O gol vascaíno até ocorreu e, apesar de ter sido em posição legal, o árbitro Carlos Eugênio Simon anulou o lance e alegou que o atacante Romário estava impedido. Antes, o juiz já havia deixado de dar um pênalti a favor do time carioca. O Vasco deu demonstrações de que reagiria na partida, já que aos quatro minutos do segundo tempo o atacante Alex Dias empatou o confronto e fez o seu 19º gol no Brasileiro, se isolando na artilharia da competição. Mas, Edmundo novamente fez a diferença ao cruzar uma bola para o atacante Adriano marcar o segundo gol do Figueirense, aos 18 minutos. Aos 31 minutos, após pressionar o time catarinense, o meia Fernandinho empatou o confronto. Mas, aos 43 minutos ocorreu o lance mais polêmico da partida: Márcio Martins chutou a bola, que já estava fora do campo, ela bateu em Fernandinho e entrou. O árbitro validou o gol do Figueirense. O Vasco conseguiu amenizar o vexame após um pênalti cobrado por Romário, aos 47 minutos, que empatou o confronto por 3 a 3.

Agencia Estado,

12 de outubro de 2005 | 18h07

Encontrou algum erro? Entre em contato

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.