Figueirense empata mais uma em casa

O Figueirense voltou a tropeçar no Campeonato Brasileiro e só empatou por 2 a 2 com o Brasiliense, neste domingo, em casa. Foi o quinto empate em 10 jogos disputados no estádio Orlando Scarpelli na competição.O time catarinense segue na zona de rebaixamento e volta a jogar no próximo domingo, contra o Santos, na Vila Belmiro. Já o Brasiliense, em 17º, recebe a Ponte Preta.A partida começou com grande movimentação. Sem o meia-atacante Marcelinho Carioca, com uma lesão no tendão, o Brasiliense começou assustando a defesa adversária e, já aos cinco minutos, Iranildo, o mais lúcido do time, abriu espaço na defesa e chutou uma bola que desviou no volante Carlos Alberto.O Figueirense, então, apertou a marcação para reduzir os espaços bem aproveitados pelo rival. A estratégia deu certo. Começou aparecer a qualidade e a criatividade dos meias Fernandes e Edmundo, os melhores do primeiro tempo. E foi de Edmundo o passe açucarado para o atacante Adriano que, com um toque sutil, tocou por baixo do goleiro Eduardo. Aos 34 minutos, foi a vez de Iranildo calar a torcida ao se livrar da marcação e fazer um giro para chutar no canto. Um belo gol. Não demorou e o Figueirense respondeu de forma concreta aos 37, quando Fernandes, num lampejo de craque, entortou a defesa e fez assistência para o lateral artilheiro Michel Bastos tocar na saída de Eduardo e fazer seu nono gol no campeonato.Na etapa final, o Brasiliense foi o dono do jogo. Sem temer o adversário, foi persistente a cada jogada. Logo aos três minutos, o zagueiro Cléber salvou em cima da linha a finalização do atacante Oséas. Retraído diante da aplicação e disposição do time do DF, o Figueirense teve poucas chances. Uma delas, aos 17, quando Michel Bastos levantou para Adriano cabecear a queima roupa, exigindo grande defesa de Eduardo. O volante Carlos Alberto também teve uma importante chance aos 30 chutando com força na rede, pelo lado de fora.Foi numa jogada de bola parada que o Brasiliense evitou a derrota.Aos 37, o meia Tiano cobrou falta que, na sobra do goleiro Edson Bastos, Oséas tocou para o fundo. No desespero, o Figueirense partiu para cima, mas pecou pela inexperiência dos alguns jogadores, como o atacante Alexandre que, aos 43, recebeu um cruzamento e em excelentes condições, dentro da área, chutou para fora.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.