Divulgação/Avaí
Divulgação/Avaí

Figueirense estuda banir invasores após derrota em clássico para o Avaí

Clube afirma que irá tentar identificar os torcedores que se envolveram em confusão na partida do último domingo

Redação, Estadao Conteudo

03 de fevereiro de 2020 | 15h38

O Figueirense emitiu nota oficial nesta segunda-feira afirmando que irá tentar identificar os torcedores que se envolveram em confusão no clássico diante do Avaí, no domingo, pelo Campeonato Catarinense. Caso eles sejam sócios, serão banidos do clube alvinegro.

"O Figueirense Futebol Clube trabalha para identificar os infratores - tanto os que causaram prejuízos ao patrimônio do clube quanto os que praticaram atos de violência -, e vai colaborar com as autoridades para quaisquer investigações que se façam necessárias. O clube também vai exigir daqueles que depredaram o estádio que custeie os reparos e prejuízos", diz a diretoria, na nota.

O clube catarinense disse repudiar os atos de violência em campo e nas arquibancadas. "As confusões causadas por esses indivíduos, além de gerar um grande prejuízo ao clube, já que houve depredação do nosso próprio patrimônio, podem causar punições ao time no decorrer do Campeonato Catarinense, como perda do mando de campo e multas."

A confusão aconteceu aos 38 minutos do segundo tempo. Bruno Silva, do Avaí, provocou torcedores que o xingavam. O volante estava com uma bolsa de gelo no joelho esquerdo, após ser substituído. Revoltado com as provocações, um torcedor invadiu o campo. Antes que ele chegasse ao banco de reservas do Avaí, no entanto, ele acabou derrubado pelo goleiro Glédson com uma rasteira, como um golpe de judô. Com o torcedor no chão, o meio-campista saiu do banco e deu um chute na direção da cabeça do fã do Figueirense. Acabou acertando também o companheiro Gledson.

A polícia chegou para tirar o torcedor agredido do gramado, mas a confusão não acabou. A torcida seguiu tentando invadir o gramado e a confusão acabou sendo generalizada fora do campo. Vidros de separação entre o campo e a arquibancada foram quebrados e torcedores entraram em confronto nas arquibancadas. O jogo foi retomado depois de 20 minutos parado. E terminou com a vitória do Avaí por 2 a 0. O chegou aos sete pontos, mesma pontuação do Figueirense.

Na nota, o clube de Florianópolis também repudiou a atitude do jogador do Avaí. "O Figueirense também repudia as atitudes do atleta do Avaí, Bruno Silva, totalmente antidesportivas, ao provocar de forma hostil os torcedores alvinegros e, durante a confusão, agredir, de forma covarde, o torcedor do Furacão, que já estava imobilizado e não apresentava mais nenhum risco. A invasão praticada pelo torcedor de maneira alguma se justifica, porém é descabido que um atleta profissional de futebol desfira um golpe covarde em um torcedor que se encontra no chão e desprotegido. A reação desproporcional do jogador avaiano certamente colaborou para que a confusão tomasse proporções ainda maiores."

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.