Figueirense joga em casa para respirar

O Figueirense enfrenta, neste sábado, o Juventude, às 16 horas, em Florianópolis, ainda preocupado em cair para a Série B. O time tem 38 pontos, dois a mais que o Brasiliense, muito perto, portanto, da zona de rebaixamento do Campeonato Brasileiro. A diretoria quer transformar o estádio Orlando Scarpelli em um caldeirão. Os ingressos estão à venda desde terça-feira com descontos de até 50% no preço. O técnico Adílson Batista tem problemas para montar o time, que empatou com o Palmeiras na última quarta-feira, por 2 a 2, no Parque Antártica. O goleiro Gustavo sofreu um estiramento no adutor reto da coxa direita, enquanto o zagueiro Cléber e o atacante Alessandro estão suspensos pelo terceiro cartão amarelo. O volante Carlos Alberto ainda é dúvida: sofreu um corte no pé direito e será examinado neste sábado. Se for liberado, pode retornar ao meio-de-campo. A boa notícia é o retorno do meia Mazinho, de 20 anos, que treinou pela primeira vez após sete meses afastado. O jogador sofreu uma cirurgia no ligamento cruzado anterior e no menisco do joelho esquerdo. Mazinho é considerado uma das maiores promessas do clube. O técnico Hélio dos Anjos, do Juventude, também tem muitos desfalques. Antônio Carlos, Índio e Caíco estão no departamento médico. Lauro e Juliano foram expulsos no jogo contra o Flamengo e o zagueiro reserva Chicão recebeu o terceiro cartão amarelo. Em compensação, Ramalho e Tucho retornam ao time. O Juventude sonha com uma vaga na Copa Sul-Americana.

Agencia Estado,

29 de outubro de 2005 | 10h23

Encontrou algum erro? Entre em contato

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.