Figueirense vence Paraná em casa: 4 a 2

O Figueirense sustentou a invencibilidade em seus domínios e quebrou a série de duas vitórias do Paraná Clube ao derrotá-lo hoje por 4 a 2. O dever de casa foi em grande estilo. O time voltou a mostrar bom futebol e concretizou o resultado através de uma estratégia pouco comum nas suas últimas apresentações, as saídas em velocidade. Com o resultado, o alvinegro soma agora 24 pontos e passa a ocupar sua melhor posição em 18 rodadas da Série A, 12º colocado. Aplicado e explorando as deficiências adversárias, o Figueirense foi mais objetivo no primeiro tempo. Foi numa de suas jogadas rápidas que surpreendeu o Paraná aos 12. O meia William se projetou pela direita e deixou Léo Macaé livre para tocar para as redes na saída do goleiro Flávio. O segundo saiu de um recuo indevido da defesa para o goleiro paranaense. Na cobrança de falta dentro da área, o lateral Pedro chutou forte. O Paraná passou a trocar passes com certa facilidade e a insistir com jogadas pelo meio. E foi assim que diminuiu aos 42, quando o meia Marquinhos aproveitou uma confusão da área e chutou fraco com o goleiro Edson Bastos batido. A resposta do Figueirense veio dois minutos depois com o zagueiro Márcio Goiano. Ele bateu forte uma falta na entrada da área para fazer o terceiro. O panorama não mudou no segundo tempo. As duas equipes se mantiveram jogando abertas e proporcionando um futebol criativo, empolgando o bom público. O Paraná conseguiu diminuir aos 27, também através do camisa 10 Marquinhos, que aos 12 já havia colocado na trave. Ele chutou forte uma bola que pegou efeito ao quicar no gramado dificultando a defesa do goleiro Edson Bastos, que assumiu seu erro na tentativa de defesa. Empolgado, o adversário passou a apresentar melhor volume de jogo, mas não o suficiente para empatar. Ao contrário, foi o Figueirense que voltou a acionar seu veloz ataque para ampliar aos 37. Luiz Fernando deu uma "paulada" de longe, o goleiro Flávio não conseguiu encaixar sobrando para o oportunista Danilo, fazer o quarto para o delírio da torcida catarinense. "Foi o jogo mais difícil que já disputei pelo Figueirense", resumiu o zagueiro Cleber ao final do jogo.

Agencia Estado,

13 de julho de 2003 | 18h54

Encontrou algum erro? Entre em contato

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.