Nelson Almeida/AFP
Nelson Almeida/AFP

Filho da modelo que acusa Neymar de estupro passa por acompanhamento psicológico

Revelação foi feita pelo pai, que mostra preocupação com o estado do filho diante do caso Neymar

Gonçalo Junior, O Estado de S.Paulo

13 de junho de 2019 | 04h30

O consultor Estivens Alves, ex-marido de Najila Trindade, modelo que acusa Neymar de estupro, afirmou que filho do casal está sendo acompanhado por um psicólogo depois do escândalo vivido pela mãe. Ele tem seis anos e está morando temporariamente fora de São Paulo com os avós paternos.

“Ele entende e sabe o que está acontecendo. Ele está sofrendo com a mãe dele e está passando por acompanhamento psicológico. Acho que isso é importante. Espero que ela se cuide e que ele possa vê-la novamente", afirmou o consultor, emocionado.

Estivens concedeu entrevista coletiva nesta quarta-feira após o depoimento à 6ª Delegacia de Defesa da Mulher no inquérito que investiga a acusação de estupro e agressão de Najila contra Neymar. O depoimento durou cerca de oito horas.

O filho de Najila foi citado nas conversas que ela teve com Neymar após o encontro dos dois em Paris. Ela pediu um presente para o menino. Estivens manifestou desconforto com a exposição do filho, mas afirmou que ele continua sendo fã do jogador do PSG. "Ele é fã do Neymar. Infelizmente. Digo infelizmente por ter de passar por toda essa situação",  disse Estivens. "Eu disse que esperava que o Neymar se retratasse com meu filho, mas fui inocente. Não quero o dinheiro do Neymar. Ele conquistou por mérito dele", afirmou o ex-marido da modelo. 

No depoimento prestado à delegada Juliana Bussacos, o consultor afirma que nunca viu o tablet que conteria imagens do segundo encontro entre a modelo e o atacante em Paris. O registro seria peça fundamental para a argumentação de Najila, mas ela afirma que o objeto foi furtado após o arrombamento de seu apartamento na semana passada.

“O tablet que estava em meu poder é do meu filho. Ele foi retirado do apartamento por mim após a queixa de arrombamento. Eu não sei, eu nunca vi o outro tablet”, afirmou.

Encontrou algum erro? Entre em contato

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.