Reprodução/ EPTV
Reprodução/ EPTV

Filho de Casagrande é relacionado na Caldense para a partida contra o Corinthians

Symon Casagrande ficará no banco para o jogo no Estádio Ronaldão, em Poços de Caldas

O Estado de S.Paulo

07 Fevereiro 2017 | 17h16

Um dos principais ídolos do Corinthians, o ex-jogador Walter Casagrande terá um motivo especial para torcer contra o time alvinegro no jogo contra a Caldense, pela primeira fase da Copa do Brasil. Filho do craque, o goleiro Symon Casagrande está na lista de relacionados para o confronto.

Symon vai ficar no banco, já que o técnico Thiago Oliveira confirmou Neguete como goleiro titular para o jogo no Estádio Ronaldão, em Poços de Caldas. Diferentemente do pai, o jogador optou por construir uma carreira no futebol evitando e não marcando gols. "A minha história vai ser totalmente diferente do meu pai.  A vida dele era fazer gols, a minha é tentar não tomar gols," conta em entrevista ao EPTV.

O atleta, que hoje disputa uma vaga na equipe titular da Caldense, já passou pelo Flamengo de Barueri e Grêmio Barueri. Lembrando de Walter Casagrande, ele comenta sobre o atual clube. "Eu ouço falar da Caldense há muito tempo. Se eu não me engano, meu pai jogou aqui quando ele tinha 17 anos, em 1981".

E quem pensa que a inspiração do jovem goleiro pode vir de algum jogador Corinthians, em referência a carreira do pai, está enganado. Symon Casagrande reverencia o ídolo do clube rival: "Quem me inspirou a ir para o gol foi o Zetti, quando ele jogava no time do Santos. Nessa época, eu já estava em uma idade de acompanhar o futebol, porque eu já estava com 5 para 6 anos e, se não me engano, o Santos estava em uma final de Rio-São Paulo. Foi ai que eu comecei a seguir o Zetti. Foi ele quem me inspirou," declara.

Fora das quatro linhas, o goleiro afirma que o pai é o seu incentivador no esporte. "O meu pai segue me ajudando. Eu não sei se ele já chegou a ver algum jogo meu. Se ele chegou a assistir, ele não me falou, porque eu não lembro disso. Mas, eu sei de uma coisa, criticar ele não critica, ele tenta incentivar, me manter calmo, ainda mais porque sou novo e ainda tenho um pouco de ansiedade para fazer algumas coisas, ele sempre tenta me acalmar e dar algum conselho".

Mais conteúdo sobre:
CaldenseCorinthiansCasagrande

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.