Divulgação
Divulgação

Filho de diretor-geral da LaMia é preso em La Paz

Gustavo Vargas Villegas irá se juntar ao pai, detido na última terça-feira

Estadão Conteúdo

08 de dezembro de 2016 | 16h32

Gustavo Vargas Villegas, filho do diretor-geral da LaMia e, até a semana passada, um dos funcionários do alto escalão da Direção Geral de Aeronáutica Civil (DGAC), foi preso nesta quinta-feira, em nova etapa das investigações sobre as causas do acidente que matou 71 pessoas na semana passada, na Colômbia, sendo 19 jogadores da Chapecoense.

Na terça-feira à noite, o pai dele, Gustavo Vargas Gamboa, diretor-geral da companhia aérea, já havia sido detido pelo Ministério Público da Bolívia durante uma operação de busca e apreensão na sede da LaMia, na cidade de Santa Cruz de La Sierra.

Vargas Gamboa é um ex-militar da Força Aérea Boliviana, que entre 2001 e 2007 foi o piloto de vários presidentes do país - incluído o atual, Evo Morales. Já seu filho, Vargas Villegas foi suspenso de suas funções no alto escalão da aeronáutica boliviana devido à investigação sobre o funcionamento da companhia aérea.

De acordo com o procurador-geral da Bolívia, Ramiro Guerrero, Vargas Villegas foi preso por "uso indevido de influências, negociações incompatíveis com o exercício de funções públicas e não cumprimento de deveres", em declarações reproduzidas pelo site do jornal El Deber.

Guerrero, sempre segundo o diário de Santa Cruz de La Sierra, disse ainda que não descarta convocar para depor o ministro de Obras Públicas, Milton Claros, e que pediu à Colômbia informações sobre o fluxo migratório de Marco Rocha, acionista da LaMia.

Tudo o que sabemos sobre:
Chapecoense

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.