Guadalupe Prado/Reuters
Guadalupe Prado/Reuters

Filipe Luís afirma que River leva vantagem por estar mais acostumado a decisões

Lateral do Flamengo aponta favoritismo do time argentino para a final da Libertadores do próximo sábado

Redação, O Estado de S. Paulo

21 de novembro de 2019 | 16h29

O lateral-esquerdo Filipe Luís, do Flamengo, afirmou nesta quinta-feira em Lima, no Peru, que o adversário do time carioca na final da Copa Libertadores no próximo sábado leva vantagem no confronto por estar mais ambientado a decisões de torneios sul-americanos. O experiente jogador de 34 anos disse que os argentinos do River Plate estão mais preparados para confronto desse tipo do que o Flamengo, que não chegava à final da competição continental desde 1981.

Em entrevista no centro de treinamentos da seleção peruana o lateral do Flamengo explicou que em momentos decisivos como uma final de Libertadores quem tem experiência prévia é favorecido. "A única pequena vantagem que o River pode ter é estar acostumado com finais, jogos importantes, final de Libertadores", disse. O River Plate é o atual campeão da competição, além de ter vencido neste ano também a Recopa Sul-Americana.

Filipe Luís relembrou que enquanto defendeu o Atlético de Madrid, da Espanha, disputou as finais da Liga dos Campeões em 2014 e 2016. Nesta última ocasião, notou a diferença do quanto a experiência prévia tem peso. "Na segunda final individualmente foi melhor do que a primeira. Eu estava bem mais tranquilo. Tecnicamente, taticamente é um jogo diferente", afirmou.

O Flamengo realizou na manhã desta quinta-feira no Peru o primeiro treino na cidade sede da final da Libertadores. A comissão técnica tratou de forrar o campo de treino com lonas para evitar espionagens, assim como reforçou a segurança. Os jornalistas só puderam acompanhar os 15 primeiros minutos do trabalho. Na sequência, o elenco trabalhou por cerca de 1h30.  

Após terem deixado o Rio de Janeiro na quarta-feira com grande festa na saída do CT e também no aeroporto, o elenco do Flamengo garante que não vai sentir um clima excessivo de euforia. "É um momento especial que a gente está vivendo. Vemos que a torcida está do nosso lado, é uma comunhão completa. Foi uma demonstração de carinho, mas pés no chão. Quero que essa festa fique para depois do jogo, e não antes", afirmou.

O elenco do Flamengo volta aos treinos na sexta-feira pela manhã, no último trabalho antes da decisão da Libertadores contra o River Plate. O trabalho também será no CT da seleção peruana. Horas depois, no fim da tarde, o time vai ao estádio da final, o Monumental, para fazer o reconhecimento do gramado.

Encontrou algum erro? Entre em contato

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.