FOTO DANIEL TEIXEIRA/ESTADAO
FOTO DANIEL TEIXEIRA/ESTADAO

Filipe Luís prega cautela na seleção para jogo contra o Paraguai

Lateral-esquerdo não espera um adversário ofensivo neste sábado

ALMIR LEITE E GONÇALO JÚNIOR, enviados especiais a Santiago, Estadão Conteúdo

26 de junho de 2015 | 18h33

O lateral-esquerdo Filipe Luís entende que o Paraguai pode ser um adversário traiçoeiro para a seleção brasileira na partida deste sábado, em Concepción, pelas quartas de final da Copa América. Ele não acredita que a equipe rival, que ainda está invicta na competição, será muito ousada, mas considera que o bom senso e a prudência recomendam concentração total para não evitar uma surpresa.

"O Paraguai melhorou muito nos últimos anos, mas contra o Brasil eles mudam a forma de jogar. Se fecham na defesa e jogam nos contra-ataques. Precisamos estar preparados. E ter criatividade lá na frente", disse em entrevista coletiva na tarde desta sexta-feira, antes do treino da seleção no estádio Ester Roa, local da partida contra os paraguaios.

Filipe Luís admitiu de forma tranquila que no jogo de quartas de final não vai se aventurar muito no ataque - a exemplo do que fez nas partidas anteriores. Considera, orientado por Dunga, que o Brasil precisa ser forte no sistema defensivo. "Na seleção, o principal é você ter uma defesa sólida. No ataque você sabe que tem jogadores que podem desequilibrar uma defesa fechada. Se tiver defesa sólida e não tomar gols, com certeza lá na frente você vai criar", analisou.

O lateral não tem a menor preocupação em não ser um dos jogadores que mais chamam a atenção na equipe brasileira. O que lhe interessa, acima de tudo, é cumprir as determinações do treinador. "Poucas vezes eu joguei para a torcida, mas eu vi que isso não agradava o treinador e muitas vezes eu não era nem titular no Figueirense. O que a experiência e os anos me ensinaram é que eu preciso ganhar. Quero ganhar." Ele disse que, atuando desse jeito, conseguiu muitas coisas na carreira.

Atualmente, Filipe Luís é um dos jogadores em que Dunga mais confia. Tanto que é titular absoluto da lateral esquerda. E ele, ao falar do treinador, desfila elogios. "Na primeira passagem dele, eu só joguei uma partida. O Dunga evoluiu muito. A gente vê isso na preleção. Ele estuda muito o adversário e prepara a seleção de acordo com as características."

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.