Matias Napoli/EFE
Matias Napoli/EFE

Final da Libertadores em Madri é 'irreversível', garante presidente da Conmebol

Partida de volta da decisão entre River Plate e Boca Juniors ocorrerá em Madri, no dia 9 de dezembro

O Estado de S.Paulo

02 Dezembro 2018 | 02h27

O presidente da Conmebol, Alejandro Domínguez, disse neste sábado que a final da Copa Libertadores entre River Plate e Boca Juniors em Madri, no dia 9 de dezembro, é "irreversível", e destacou que a Espanha é o país onde há mais argentinos vivendo fora do seu território.

Durante uma entrevista coletiva prévia à final do Mundial Feminino sub-17, disputado no Uruguai, Domínguez afirmou que quando propôs a ideia ao presidente do Real Madrid, Florentino Pérez, lhe disse que precisava de "uma resposta de um amigo". Pérez lhe pediu para pensar e disse que retornaria a ligação "em dois minutos". 

"Depois de dois minutos, retornou a ligação e me disse: não somente é boa, mas o (Santiago) Bernabéu está à disposição sem custo para este jogo", falou Domínguez.

A respeito dos fatos ocorridos, Domínguez explicou que não sabe em que momento "se confundiu a paixão com violência" e desde quando o futebol "é matar ou morrer".

A partida de volta da final da Libertadores entre River e Boca ocorrerá em Madri em um domingo, dia 9 de dezembro, às 20h30 (horário local, 17h30 em Brasília), no estádio Santiago Bernabéu. / EFE

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.