Leo Feltran
Leo Feltran

Final da Liga dos Campeões terá trilha sonora de orquestra ao vivo no Ibirapuera

Orquestra filarmônica com 32 músicos vai criar trilha para decisão entre Real Madrid e Liverpool, no dia 26

Gonçalo Junior, O Estado de S.Paulo

17 Maio 2018 | 14h16

Uma orquestra filarmônica com 32 músicos vai tocar ao vivo na transmissão da final da Liga dos Campeões da Uefa no dia 26 de maio entre Real Madrid, que busca sua 13ª conquista sob a liderança de Cristiano Ronaldo, e o Liverpool, destaque do torneio e liderado pelo egípcio Salah e pelo brasileiro Roberto Firmino.

+ Zidane vê reta final do Espanhol como treino para final da Liga dos Campeões

+ Liga dos Campeões terá final de R$ 6,3 bilhões

A apresentação da orquestra durante o jogo, ação inédita no País, será realizada no último andar do prédio da Bienal, no Parque do Ibirapuera (SP) durante a finalíssima. Além da trilha da orquestra, que será regida pelo maestro Xuxa Levy, um narrador esportivo vai apresentar os principais lances da partida, que será realizada em Kiev, na Ucrânia.

O prédio da Bienal vai receber cerca de 1500 pessoas com telões, arquibancadas, bares, restaurantes e outras ativações. O evento, batizado de The Grand Finale, é criação da Heineken, patrocinadora da Uefa.

O evento foi inspirado nas origens do cinema, quando os filmes não tinham falas. Entre os anos 1920 e 1940, a trilha sonora tinha papel fundamental no desenvolvimento do enredo. Naquela época, as orquestras realizavam a trilha dos filmes ao vivo dentro dos cinemas.

Os dois times da decisão - Real Madrid e Liverpool - figuram entre os dez mais ricos da atualidade. O Real, atrás apenas do Manchester United, teve receita de € 674 milhões (R$ 2,8 bilhões) no ano passado. O Liverpool registrou € 424 milhões (R$ 1,7 bilhões) em receitas na temporada anterior. 

Os ingleses se veem como “zebra” na decisão, mas apostam no trabalho para surpreenderem os espanhóis. É a primeira vez que o Liverpool chega à final desde 2007, ano em que ficou com o vice ao perder para o Milan. 

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.