Final do Rio-SP: 11 feridos, 10 à bala

Onze torcedores corintianos ficaram feridos, no domingo à noite, depois da decisão do Torneio Rio-São Paulo, no Morumbi. Dez vítimas foram baleadas e uma foi atingida por uma pedrada na cabeça. Ninguém foi preso e a polícia tem poucas pistas sobre os suspeitos. O caso mais grave ocorreu na Vila Jacuí, zona leste da capital. Sete corintianos foram baleados. O motivo: uma provocação e uma bandeira do São Paulo rasgada.Segundo testemunhas, mais de 300 torcedores se reuniam na Praça Fortunato da Silveira para comemorar o título. Por volta das 20 horas, um rapaz num Gol branco passou entre os corintianos. Parou o carro, pegou uma bandeira do São Paulo e agitou-a no ar. Um grupo de torcedores reagiu: correu em direção ao carro, tomou a bandeira do rapaz e a rasgou.O são-paulino fugiu em velocidade. Mas antes, teria ameaçado: "Voltarei ?maquinado? (armado)." Dez minutos depois, ele cumpriu a promessa. Parou próximo ao lugar onde havia sido hostilizado, desceu do carro e de arma em punho descarregou-a contra a multidão. O agressor aproveitou o tumulto para fugir. Seu carro ainda foi cercado pelos corintianos e atingido por pontapés. O número da placa não foi anotado.A maioria dos feridos tinha entre 15 e 17 anos. Todos foram socorridos no Hospital Tide Setúbal. Dois deles foram medicados e liberados em seguida. Os demais estão em observação. O caso mais grave é de Cláudio Jesus Costa, de 33 anos, que passou por cirurgia. "Não é a primeira vez que esse cara aprontou aqui na praça. Meses atrás, ele fez a mesma coisa, mas não acertou ninguém", disse uma testemunha. A confusão não estragou a comemoração. A festa durou até o início da madrugada.Nas imediações do Morumbi, na Avenida Francisco Morato, houve outra briga entre torcedores. Três corintianos foram baleados: Ednaldo da Silva Lopes Marcos e Vinicius Gomes. Mas quem levou a pior foi Vanderlei Rebouças, de 33 anos. Atingido na cabeça por uma pedrada, foi socorrido no pronto-socorro Bandeirantes. A seguir, foi transferido para o Hospital das Clínicas, com fratura no lado esquerdo da cabeça.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.