Daniel Augusto Jr/Agência Corinthians
Daniel Augusto Jr/Agência Corinthians

Finalizar mais ao gol, o desafio do Corinthians contra o Paraná

Sem vencer há quatro partidas no Brasileirão, time é o que menos chuta contra o gol rival e o que mais se permite ser atacado

Paulo Favero, O Estado de S.Paulo

25 Agosto 2018 | 05h29

Para vencer o Paraná às 19h deste sábado, o Corinthians terá de aumentar consideravelmente suas finalizações. No Brasileiro, é o time que menos finaliza a gol entre os 20 clubes (ao lado do América-MG), com média inferior a dez conclusões por partida. Por outro lado, é uma das equipes que mais permite ao adversário chutar contra seu gol, à frente apenas do Atlético-PR.

Essa dificuldade de se aproximar da meta adversária e a de deixar os rivais levarem perigo ao gol de Cássio se acentuou nos últimos duelos da competição. Tanto que o Corinthians caiu de rendimento e não sabe o que é vencer no torneio nacional há quatro rodadas. Isso tudo pressiona o técnico Osmar Loss no cargo.

Obviamente, um time que ocupa a oitava posição também tem suas qualidades. Segundo dados do Footstats, o Corinthians é o sétimo time com mais posse de bola no torneio, o quarto em número de passes e o quinto em dribles certos. Isso mostra que a equipe tem um certo domínio nas partidas, faz a bola girar, mas não consegue concluir as jogadas.

Os meio-campistas, responsáveis pela criação das jogadas, sabem disso e garantem que vão melhorar. “O coletivo às vezes não funciona e o individual cai um pouco. Eu me cobro muito depois dos jogos. Posso ter diminuído os dribles que eu gosto, mas ouço as críticas. Sei que tenho de melhorar não só individualmente, como coletivamente. Sei que com todos indo bem meu futebol também vai melhorar”, afirmou o meia Pedrinho.

Os números no Brasileirão mostram que o Corinthians deixou de ser a equipe eficiente do início da temporada. Uma das explicações está na saída de peças importantes, como Balbuena, Rodriguinho, Sidcley e Maycon. Só que a classificação para a semifinal da Copa do Brasil e a chance de avançar na Libertadores deixam o ambiente um pouco mais tranquilo.

“O título da Copa do Brasil, a gente está almejando porque tem poucos jogos para chegar lá. Queremos ganhar do Flamengo. O Brasileiro também é importante e um clube como o Corinthians entra para ganhar todos os campeonatos. Precisamos ter a mesma vontade de vencer sempre”, comentou Pedrinho.

Ele sabe que a partida contra o Paraná será um importante termômetro para o jogo de quarta-feira contra o Colo-Colo, pela Libertadores, quando o Corinthians precisa reverter em casa a derrota por 1 a 0 no jogo de ida. Por isso, o meia quer um resultado convincente hoje em Itaquera para melhorar os ânimos no Parque São Jorge.

“É importante a gente buscar um resultado positivo agora para trazer o torcedor na quarta-feira. Contra o Paraná será um jogo para repor a confiança e mostrar nosso valor”, disse.

Ele frisou que o presidente Andrés Sanchez cobrou o elenco e aposta numa reação. “Ele é um cara muito claro e falou o que a gente precisava ouvir. O presidente não quer resultados ruins no clube e nos cobrou. O que ele falou todo mundo guardou e vai fazer as coisas acontecerem”, garantiu.

FICHA TÉCNICA: CORINTHIANS x PARANÁ

Corinthians: Cássio; Fagner, Pedro Henrique, Henrique e Danilo Avelar; Ralf, Douglas, Pedrinho, Jadson e Clayson; Roger. Técnico: Osmar Loss.

Paraná: Richard; Diego Tavares; René, Cleber e Igor; Leandro, Jhonny Lucas, Alex Santana, Caio Henrique e Silvinho; Grampola. Técnico: Claudinei Oliveira.

Juiz: Andre Luiz de Freitas Castro (GO).

Local: Arena Corinthians, em São Paulo.

Horário: 19h.

Na TV: Pay-per-view.

 

 

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.