Finazzi: 'Acho que dá para vencer o São Paulo'

Atacante terá um 'duelo particular' de artilheiros com Adriano e espera marcar gols e vencer no domingo

24 de janeiro de 2008 | 10h04

A sensação de alívio no grupo de jogadores do Corinthians após a vitória na quarta-feira à noite sobre o Paulista, por 2 a 0, pode acabar no domingo, quando o time alvinegro disputará o clássico contra o arqui-rival São Paulo, às 16 horas, no Estádio do Morumbi. As atenções estarão voltadas para os artilheiros dos dois times: Finazzi e Adriano.Veja também: Mano Menezes: 'Corinthians tem de se adaptar ao São Paulo Muricy reclama do empate, mas já pensa no Corinthians Acosta: apoio total e alívio após marcar um gol de 'taco' Classificação São Paulo decepciona e fica só no empate contra o Ituano Corinthians se reabilita com 2 a 0 sobre o PaulistaNo lado corintiano, Finazzi admite o duelo e reforça o desejo comum de vários jogadores, que é vencer e marcar gols. "Acho que dá para a gente fazer uma boa partida e vencer o São Paulo. O duelo particular sempre é bom e se eu puder vencer e fazer gols, vai ser bom para mim e a equipe", diz.A avaliação do atacante é de que, se vencer o time tricolor, o Corinthians pode enfim encontrar a paz que tanto precisa. "[O clássico] É um jogo bom de se jogar, com estádio cheio, rivalidade, serve como bom teste. Se a gente vencer, nos dá um pouco tranqüilidade. O São Paulo tem um pouco de favoritismo, mas estou confiante de que a gente possa vencer". Seu discurso um pouco cauteloso é compartilhado por outros jogadores, que reforçam a necessidade de ajustes. "Temos de acertar o time para conseguir ganhar do São Paulo no domingo", diz, diretamente, Dentinho. "A partir desse jogo contra o Paulista a gente tira o modelo para enfrentar o São Paulo", fala Bruno Octávio, que aponta o fato de que não deve fazer marcação especial em nenhum dos adversários. "Acho que não é grudar [marcação individual] o que devemos fazer, cada um tem uma zona para proteger. Quem cair onde eu espero estar atuando, será marcado por mim", afirma.Finazzi completa lembrando que o Corinthians vem de duas atuações completamente distintas. "Pode ser que a equipe não se encontre em algumas partidas, e eu espero que não seja no clássico, que demore um pouco para acontecer de novo. Deu para a gente aprender no jogo que perdemos para o São Caetano, e esperamos que isso não se repita no domingo."

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.