Fiorentina x Roma preocupa italianos

Fiorentina e Roma fazem no dia 7 de abril o principal jogo do Campeonato Italiano. Mas a partida provoca apreensão desde já. Por isso, ainda nesta sexta-feira haverá encontro entre dirigentes dos clubes, da federação, da prefeitura de Florença e da polícia para decidir o que deve ser feito para evitar confrontos entre torcidas. A tendência é a de que a partida seja antecipada para a sexta-feira, 6, ou transferida para a segunda, 9. Hipótese mais remota é a ser disputada com portões fechados.O temor de distúrbios tem fundamento. Em primeiro lugar, pela rivalidade entre torcedores das duas cidades. Houve confrontos pesados em outras ocasiões. Além disso, os "romanistas" prometem formar caravana com 10 mil pessoas para invadir o Estádio Artemio Franchi. A terceira questão a ser levada em conta é a provável presença de Gabriel Batistuta pela primeira vez como "inimigo", depois de dez anos como ídolo em Florença. O goleador se recupera de contusão, mas há perspectiva de que volte no clássico.O prefeito de Florença, Achille Serra, chegou a pedir para as emissoras por assinatura que têm o direito de transmissão para liberar o sinal; não obteve resposta. Outra sugestão foi a de instalar telões em Roma e em volta do estádio, para satisfazer os torcedores. Também se cogitou de entregar no máximo 3 mil ingressos para os seguidores da Roma.A melhor proposta, no entanto, é a da antecipação. Como o jogo seria realizado na sexta-feira à noite, muitos torcedores - principalmente os romanos - não teriam como deixar seus respectivos trabalhos, para viajar e assistir ao jogo no estádio. Só a hipótese dos portões fechados é a que tem rejeição maior. "Seria punir os torcedores da Fiorentina", protestou o português Rui Costa.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.