Jason Cairnduff/Reuters
Jason Cairnduff/Reuters

Firmino cresce e fica cada vez mais perto da Copa do Mundo

Atacante do Liverpool tem se destacado no Campeonato Inglês e se consolida como opção ofensiva para a seleção

Marcio Dolzan, O Estado de S.Paulo

18 Janeiro 2018 | 07h00

A seleção brasileira para a Copa do Mundo da Rússia tem um camisa 9 bem definido – Gabriel Jesus, titular com Tite nas Eliminatórias. Mas, a cinco meses para o início do Mundial, o atacante do Manchester City vê crescer sobre si a sombra de um jogador que está encantando os ingleses graças à eficiência: Roberto Firmino, destaque do Liverpool na atual temporada e jogador constantemente lembrado na seleção.

+ Transferência de Coutinho faz Brasil ter a seleção mais cara do mundo

+ Menos habilidoso da família, Marquinhos projeta ápice na Rússia

Firmino chegou ao time inglês em 2015 como um meio-campista ofensivo, mas aos poucos foi sendo lapidado para o ataque pelo técnico alemão Jürgen Klopp. Hoje, veste a camisa 9 do Liverpool e já marcou 17 gols nos 31 jogos que disputou na temporada.

“Eu não era um atacante antes, mas me adaptei a essa posição e passei a gostar cada vez mais. Me sinto realmente confortável e realmente adaptado”, disse o jogador, em entrevista publicada ontem no site oficial do clube inglês.

Com Tite no comando, Firmino já esteve em campo seis vezes pela seleção brasileira, sempre como atacante. Não chegou a se destacar em nenhum dos jogos, mas conta com a confiança do técnico. “O Firmino tem mais pra dar. Foi uma atuação normal dele, mas ele tem mais pra dar”, considerou Tite após o empate por 1 a 1 com a Colômbia em setembro do ano passado, válido pela antepenúltima rodada das Eliminatórias.

Nos últimos dias, o atacante foi um dos jogadores observados de perto pelo auxiliar técnico da seleção Cleber Xavier e pelo coordenador do Centro de Pesquisa e Análise (CPA) da equipe, Fernando Lázaro. A dupla está em um giro pela Europa acompanhando jogos e treinos de equipes que têm “selecionáveis” em seus planteis. No fim de semana, os dois assistiram à grande vitória do Liverpool sobre o Manchester City por 4 a 3. Um dos gols foi de Firmino.

O bom desempenho aumentou as chances de Firmino estar na Copa da Rússia. Soma-se a isso o fato de o atacante ter encerrado a temporada passada como reserva imediato de Gabriel Jesus, que se recupera de lesão no joelho e só deve voltar aos gramados no próximo mês.

“A análise não foi feita só em cima do Gabriel e do Firmino. Tem muitos outros atletas que nós estamos observando”, disse ao Estado o coordenador de seleções Edu Gaspar. “Sobre o Gabriel Jesus, é importante a gente estar próximo para saber como estão as coisas. O Firmino está num bom momento, e também é importante estar com ele. Mas tem o Fernandinho, tem o Danilo (ambos do Manchester City), uma série de outros atletas que estão sendo observados. Temos que tirar o máximo de informação possível em tudo o que for possível.”

Edu Gaspar também apontou para a importância de se analisar o desempenho deles no contexto das partidas. “Ter a oportunidade de assistir a um jogo como esse, com dois treinadores (Klopp e Guardiola) no nível que eles se encontram, e o nível tático das partidas, é de suma importância. Os auxiliares também observam esses requisitos”, disse.

Encontrou algum erro? Entre em contato

publicidade

publicidade

publicidade

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.