Dave Thompson/AFP Photo
Dave Thompson/AFP Photo

Firmino marca e deixa o Liverpool com boa vantagem sobre o Porto na Liga dos Campeões

Brasileiro foi um dos destaques da vitória por 2 a 0 sobre o clube português

Redação, O Estado de S.Paulo

09 de abril de 2019 | 18h17

O Liverpool venceu o Porto por 2 a 0, nesta terça-feira, pelo jogo de ida das quartas de final da Liga dos Campeões, no Anfield Road. O francês Keita e o brasileiro Firmino fizeram os gols do time inglês, que poderá perder por até um gol de diferença na partida do próximo dia 17, no Estádio do Dragão, na cidade do Porto.

O Porto surpreendeu ao iniciar o jogo no campo de ataque, agredindo o Liverpool pelas laterais. Logo aos dois minutos, o grandalhão Marega finalizou, de virada, mas errou. A resposta inglesa não demorou e foi fatal. Mané, com liberdade, tocou para Firmino, que rolou para Keita. A finalização do francês desviou e enganou o experiente Casillas para abrir o placar.

A partir daí, o destaque foi o egípcio Salah, que passou a dominar o lado direito de ataque do Liverpool, mesmo sendo marcado pelo ex-são-paulino Militão. Com incrível preparo físico, o canhoto chegou até a fazer cobertura na zaga em um contra-ataque português. A atitude foi aplaudida pela torcida.

Salah teve duas boas chances para ampliar o placar. Aos 17, Casillas fez boa defesa. Aos 21, Otavio recuou mal, o atacante do Liverpool ganhou na corrida do zagueiro Felipe, ex-Corinthians, tocou na saída do goleiro espanhol, mas errou o alvo por pouco.

O segundo gol saiu aos 25 minutos. Henderson, o cerebral capitão do Liverpool, deu ótimo passe para Arnold, que cruzou na medida para Firmino fazer 2 a 0. Parecia que o time inglês repetiria a goleada por 5 a 0 doa no passado, em Portugal, mas o time do Porto não se acovardou com o placar adverso.

Marega teve mais duas chances, mas o goleiro Alisson mostrou segurança para evitar o primeiro gol português. O primeiro tempo ainda viu mais uma ótima assistência para Firmino, que bateu bonito e errou por pouco.

O panorama da segunda etapa foi semelhante. O Liverpool com o domínio da bola, enquanto o Porto era insinuante nos contra-ataques. Mané chegou a fazer o terceiro gol, após outro lindo passe de Henderson, aos três minutos, mas foi anulado com o auxílio do VAR.

Mesmo em desvantagem, o Porto continuou na busca de pelo menos um gol. Marega, lutando contra toda a zaga inglesa, teve outras três chances. Na primeira, Alisson pegou. Nas outras duas, o atacante falhou. Pela luta e pela coragem, o time português merecia pelo menos um gol. Mas não fez e a vaga na semifinal ficou mais difícil.

Encontrou algum erro? Entre em contato

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.