Jason Cairnduff/Reuters
Jason Cairnduff/Reuters

Firmino quebra silêncio após absolvição: 'Feliz que tudo tenha sido resolvido'

Atacante do Liverpool foi acusado de ofensa racial pelo jogador Mason Holgate, do Everton, mas foi absolvido

O Estado de S.Paulo

22 de fevereiro de 2018 | 12h09

O atacante Roberto Firmino decidiu se pronunciar após a conclusão do caso em que foi acusado de racismo durante uma partida do Liverpool contra o Everton, no mês passado. O jogador da seleção brasileira foi absolvido pela FA, a federação inglesa, nesta quarta-feira, e comemorou a decisão da entidade.

Após investigação da FA, Firmino se livra de acusação de racismo

+ Confira mais notícias do futebol inglês

Em um comunicado publicado no site oficial do Liverpool, o centroavante admitiu que foi difícil permanecer em silêncio durante o período das investigações e revelou já ter sofrido a injúria no passado. Ainda, negou mais uma vez ter ofendido o adversário.

"Por mais difícil que tenha sido ficar publicamente calado, dada a seriedade e natureza do que foi atribuído a mim durante àquela partida, eu fiz isso para demonstrar o meu respeito ao processo (de investigação) e permitir que isso fosse investigado da forma mais completa possível. Como alguém que sofreu ofensas raciais durante a minha vida, sei o quão doloroso isso pode ser", afirmou.

Na ocasião, Firmino e Holgate se enroscaram aos 39 minutos do segundo tempo da partida entre os rivais de Liverpool. Em uma disputa de bola na lateral do campo, o atleta do Everton empurrou o brasileiro para fora do gramado, em cima das placas. O atacante levantou irritado e xingou o adversário em português. Holgate instantanamente alegou ter sido ofendido racialmente, o que gerou a confusão.

"Agora que o processo está concluído, quero deixar registrado para evitar quaisquer dúvidas que eu não disse a palavra, ou alguma variação dela, que foi dito pela mídia. Eu não usei nenhuma linguagem que se referiu à raça. Eu não fiz - e nem faria - uma referência à cor ou à cultura de uma pessoa como forma de insultá-la durante uma disputa de argumento". 

"Não há lugar para discriminação no campo de futebol, ou em qualquer área da vida. Estou feliz que depois de exaustivas revisões das evidências, neste incidente específico, tudo tenha sido resolvido".

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.