Fisco embarga pagamento de Maradona

O Fisco italiano decidiu embargar opagamento que seria feito a Maradona pelas participações doex-jogador em um programa da emissora de televisão pública RAI, paradescontar de parte da dívida que o argentino possui com o Estado. Maradona tem participado aos sábados à noite (à exceçãodos dois últimos, que não compareceu alegando um problema físico) de um programa na tevê "Ballando con le Stelle" ("Dançando com as Estrelas"),onde se exibe em vários salões de dança. Segundo informações veiculadas na imprensa, Maradona receberia de 3 milhões a 4 milhões de euros pela aparição na TV. No entanto, oex-jogador argentino, astro do Nápoli no final da década de 80,possui ainda uma dívida de cerca de 32 milhões de euros na Itália. Em fevereiro deste ano, o Supremo Tribunal italiano concluiu oprocesso por sonegação fiscal e condenou Maradona ao pagamentointegral dos débitos com o Estado. Ao saber que o ex-jogadorcobraria valores da RAI, surgiram protestos, inclusive deparlamentares, que questionam o caráter omisso do Fisco. O subsecretário de Economia da Itália anunciou que, por enquanto,o dinheiro que seria recebido por Maradona por sua participação no"Dançando com as Estrelas" está confiscado. Além disso, tornou-se público hoje o fato de que em 23 desetembro, devido a sua presença em um espetáculo em Nápoles, trêsagentes da Polícia entregaram a Maradona uma notificação judicial,pela divida de 13 milhões de euros (parte do valor total). Curiosamente, desde então Maradona não voltou à Itália paraparticipar do programa da RAI (embarcava na Argentina àsquartas-feiras), dizendo que "os médicos" teriam lhe proibido de"subir em um avião para um vôo intercontinental". "Cheguei a um ponto de grande cansaço. Sinto muito pelositalianos que me apóiam", disse o ex-camisa 10 da seleção argentinaem uma conexão telefônica com o programa para justificar suaausência recente.

Agencia Estado,

13 de outubro de 2005 | 13h12

Encontrou algum erro? Entre em contato

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.