Luis Moura/Gazeta Press
Luis Moura/Gazeta Press

Fisiologistas apontam riscos para saúde de jogadores em partidas das 11h

Desidratação e adaptação do organismo dos atletas pode afetar rendimento em campo

Daniel Batista e Matheus Lara, O Estado de S.Paulo

23 de setembro de 2017 | 11h00

São Paulo e Corinthians se enfrentam neste domingo, às 11h, pela 25ª rodada do Campeonato Brasileiro e o horário desperta preocupações para fisiologistas em relação à saúde dos jogadores, que poderão estar expostos a uma temperatura de quase 30°C e tempo seco.

“Esse cenário proporciona um risco grande para a ocorrência de casos agudos de desidratação que podem comprometer não só o desempenho, mas também a integridade muscular e até neurológica dos atletas”, aponta o fisiologista Diego Leite de Barros. "Com um calor cada vez mais intenso, a sudorese gerada para diminuir a temperatura precisa ser ainda maior. Isso favorece um quadro acelerado de desidratação que gera perda não só de líquido, mas também de sais minerais como potássio e sódio."

O fisiologista Pauo Zogaib alerta que o rendimento em campo pode ser comprometido. Além do risco de desidratação por conta do calor, o médico aponta a possibilidade de o organismo dos atletas não estarem acostumados a práticas esportivas no horário próximo do meio dia.

"Se o atleta está habituado a fazer exercícios físicos em um determinado horário, naquele horário o organismo dele vai produzir determinados hormônios na hora certa", afirma Zogaib. "Então, o jogador tende a ter uma dificuldade maior em horários em que o organismo dele não está acostumado. É uma situação similar ao que acontece em mudanças de fusos-horários. O organismo precisa de certo tempo para adaptação."

Preocupado com a mudança, o Corinthians mudou o horário do treino da sexta-feira de olho neste elemento do clássico. "Vai estar muito calor e por isso, mudamos o horário do treino (de sexta-feira) para se adaptar, mas acho que na hora que a bola rola, no 11 contra 11, isso fica para trás", informa o lateral Guilherme Arana.

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.