Fla-Flu buscam explicações para crise

Má administração e a baixa qualidade técnica das equipes são os dois maiores exemplos da crise vivida pelo futebol carioca, que na quarta-feira assitiu aos vexames de Flamengo e Fluminense, eliminados precocemente do Campeonato Estadual, por clubes de menor investimento. E, na tentativa de amenizar o ambiente, o Rubro-Negro optou pela solução recorrente nesses momentos: demitiu o técnico Júlio César Leal e contratou Cuca. Já o Tricolor apresentou nesta quinta-feira o zagueiro Fabiano Eller, seu 12º reforço para 2005."Não tenho muito para falar para os torcedores do Flamengo. Apenas que vou trabalhar com empenho e dedicação. Será um enorme prazer", disse Cuca, utilizando o discurso padrão de todo treinador recém-chegado a um clube. Como as palavras do novo técnico, os problemas do Rubro-Negro também são conhecidos e antigos.A atual administração do Flamengo, por exemplo, tem sido marcada pelo excesso de decisões equivocadas. A mais recente ocorreu após a derrota vexatória para o Americano. Ainda no vestiário, ora afirmavam que Leal estava demitido, ora diziam que a decisão só seria tomada nesta quinta-feira.E na semana de estréia do Carioca, o Flamengo foi forçado a disputar um Torneio Internacional, que reuniu o time de Trinidad e Tobago, Joe Public, e o Volta Redonda. Totalizou uma vitória contra os estrangeiros e uma derrota para o time de reservas do Sul Fluminense."Foi uma série de problemas e o processo estava no início. Tínhamos um elenco reduzido, uma equipe jovem e nos faltaram reforços", argumentou o ex-treinador rubro-negro Leal. "Não tivemos tempo para nos preparar para o Carioca, vivíamos tendo que treinar em outros campos, porque a Gávea está em obras. E ainda disputamos uma competição antes da estréia, o que desgastou o time." Apesar de a diretoria ter anunciado o nome de Cuca, que chega ao Flamengo após frustradas passagens por São Paulo e Grêmio, a crise na Gávea perdurou nesta quinta. À tarde, torcedores foram à sede do Flamengo para protestar contra a atual situação da equipe e a diretoria. Pediam, principalmente, pela renúncia do presidente.Mas se no Flamengo faltou reforços, no Fluminense o excesso vem prejudicando o desempenho do time. No total, o Tricolor contratou 11 jogadores, além do técnico Abel Braga. E até esta quinta tinha jogador se apresentando, o zagueiro Fabiano Eller.Mesmo com os maus desempenhos, o técnico Abel Braga tem repetido o discurso de que o Fluminense tem melhorado seu rendimento a cada partida. Aposta ainda que a seqüência de confrontos darão o entrosamento necessário para o time ser capaz de superar o momento conturbado."Não tivemos um jogador com atuação ruim", disse Braga após a derrota de quarta-feira para o Cabofriense. E completou: "a defesa estava totalmente desarrumada...". Declarações desencontradas, típicas de quem está perdido, em meio à crise.

Agencia Estado,

03 de fevereiro de 2005 | 18h42

Encontrou algum erro? Entre em contato

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.