Fla joga mal, mas goleia a Portuguesa

A goleada do Flamengo sobre a Portuguesa nesta quinta-feira, por 4 a 1, no Maracanã, pode passar a impressão de que a equipe do técnico Cuca jogou bem e venceu com facilidade. Ledo engano. Atuou mal maior parte do jogo, levou alguns sustos do frágil adversário e somente definiu o triunfo nos cinco minutos finais, com gols de Dimba e Emerson. O treinador rubro-negro sabe que terá muito trabalho pela frente para corrigir os erros do time. Mas, ao menos, sentiu-se aliviado com os três primeiros pontos na Taça Rio, segundo turno do Campeonato Carioca.O Flamengo se aproveitou de dois erros individuais da Portuguesa para marcar seus gols no primeiro tempo. Logo aos 8 minutos, o estreante goleiro Braz não segurou chute de Alessandro, de fora da área, e o lateral-esquerdo André Santos somente teve o trabalho de concluir para o gol vazio: 1 a 0.No lance seguinte à saída de bola, o atacante Bilula perdeu, de cabeça, uma ótima oportunidade para empatar o jogo. A zaga rubro-negra apenas assistiu ao lance. Mesmo não jogando bem, o Flamengo ampliou o marcador aos 17 minutos. O lateral-esquerdo Alan errou passe dentro da própria área e, não satisfeito, derrubou o meia Caio. Pênalti claro.Dimba fez 2 a 0.Apesar da fragilidade do adversário, pior equipe tecnicamente do Carioca, o Flamengo não conseguiu criar boas jogadas. Parecia acomodado com a vantagem. Errava passes em excesso. Do lado da Portuguesa, apenas um lençol de Gullit em cima do zagueiro Fabiano no meio-de-campo mereceu aplausos dos torcedores.E se no primeiro tempo o Flamengo esteve mal em campo, no segundo também ficou devendo um bom futebol à torcida. Levou alguns sustos e quase cedeu o empate. Mas nos minutos finais, marcou dois gols para alívio do técnico Cuca. Éberson, camisa 10 da Portuguesa, foi o destaque da Portuguesa. Ele arriscou dois chutes de fora da área com muito perigo ao gol de Diego.No primeiro, a bola passou rente à trave. No segundo, o goleiro rubro-negro fez boa defesa. Diego somente não conseguiu evitar uma cabeçada, de Bibi, aos 8 minutos. A zaga rubro-negra mais uma vez facilitou a vida dos atacantes adversários. A torcida do Flamengo perdeu a paciência após assistir sucessivos erros de passes, lançamentos, e de marcação, e cobrou raça dos jogadores. Pelo menos vontade eles mostraram, mas faltou o principal: técnica.Quase no fim da partida, após bom passe de Felipe Gabriel, o artilheiro Dimba, sozinho, concluiu bem: 3 a 1. Dois minutos depois, o mesmo Felipe Gabriel deu bom passe para Emerson, chutar forte e rasteiro. Braz, pela segunda vez, falhou: 4 a 1. O Rubro-Negro venceu pela primeira vez no Maracanã em 2005 - empatou uma vez e perdeu duas -, mas não convenceu.

Agencia Estado,

24 de fevereiro de 2005 | 23h05

Encontrou algum erro? Entre em contato

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.