Fla x Atlético-MG e Cruzeiro x Santos se reencontram pela 1ª vez

Fla x Atlético-MG e Cruzeiro x Santos se reencontram pela 1ª vez

Em sua 26ª edição, Copa do Brasil teve apenas um cruzamento entre os rivais, com vantagem para a equipe celeste e a rubro-negra

Mateus de Souza, especial para o Estado, O Estado de S. Paulo

29 de outubro de 2014 | 07h00

Cruzeiro e Santos jogam nesta quarta-feira às 22h, no Mineirão, enquanto Flamengo e Atlético-MG se enfrentam no mesmo horário, no Maracanã, ambos pela semifinal da Copa do Brasil. Será a primeira chance de vingança nesta competição para os torcedores do time paulista e do Alvinegro mineiro, eliminados por Cruzeiro e Flamengo em 2000 e 2006, respectivamente, na mesma competição.

O Cruzeiro é o maior vencedor do torneio, ao lado do Grêmio, com quatro canecos. No caminho do tricampeonato, conquistado em 2000, o time de Minas encarou a equipe da Baixada Santista na semifinal. No jogo de ida, no Mineirão, vitória de 2 a 0, com gols de Geovanni e Donizete Oliveira, o segundo já na prorrogação. Com a vantagem, o Cruzeiro apenas administrou a partida da volta, na Vila Belmiro, segurando empate por 2 a 2.

O Cruzeiro contava com um ataque de respeito naquela partida: Müller, Fábio Júnior e Oséas, que seria o artilheiro da competição, com dez gols. O meio-campista Geovanni, prata da casa, atualmente no Bragantino, e com passagens por Barcelona, Benfica e Manchester City, comandava a armação das jogadas. Foi dele o gol do título, contra o São Paulo, no último minuto do duelo de volta. O Santos tinha em seu elenco nomes de peso como Carlos Germano, André Luís, Caio, Rincón e Robert, que, no entanto, não conquistaram nenhum título naquela temporada. A maior façanha desse grupo foi reconduzir o Santos à uma final de Campeonato Paulista após 16 anos, quando foi campeão em cima do Corinthians, na histórica campanha de 1984.

FLAMENGO X ATLÉTICO-MG

O Flamengo, atual campeão da Copa do Brasil, em cima do Atlético-PR, já soma três taças. Caso conquiste essa edição, sob o comando de Luxemburgo, deixará o Corinthians - outro tricampeão - para trás e entrará no seleto grupo dos tetracampeões. Para isso, porém, precisa superar outro Atlético, o de Minas, comandado por Tardelli.

Em 2006, rubro-negros e alvinegros se enfrentaram pelas quartas de finais, e os cariocas se saíram melhor. O técnico do Flamengo na ocasião era Waldemar Lemos, irmão de Oswaldo de Oliveira, enquanto o Atlético-MG era comandado por Lori Sandri. No primeiro jogo, no antigo Maracanã, os dois primeiros gols foram marcados pelo flamenguista Renato. Exímio cobrador de faltas, o meia mostrou faro de centroavante e balançou a rede de dentro da área. Três minutos depois, Obina mostrou raça e brigou com zagueiros e goleiro para fazer o terceiro do Fla. Marinho ainda diminuiu para o Atlético-MG, mas a noite era mesma rubro-negra: Jônatas selou a goleada pelo placar de 4 a 1.

Na volta, no Mineirão lotado, empate sem gols e classificação dos cariocas, que seriam os campeões daquela edição da Copa do Brasil, ao derrotar o Vasco na final e superar o trauma de 2004, quando deixou escapar o título para o Santo André em um Maracanã tomado por 70 mil torcedores.

OUTROS CONFRONTOS HISTÓRICOS

Nos anos de 1980, o Flamengo dominou o Brasil, a América e o mundo. Nesse período, se teve um rival que impôs dificuldades aos rubro-negros, foi o Atlético-MG, que contava com craques do naipe de Palhinha, Toninho Cerezo e Reinaldo. Quem não se lembra da épica final do Campeonato Brasileiro de 1980? No primeiro jogo, vitória atleticana por 1 a 0 no Mineirão. Na volta, triunfo rubro-negro por 3 a 2, e o título veio pela melhor campanha na semifinal. Os três gols dos mineiros foram marcados por Reinaldo, enquanto, pelo Flamengo, Nunes (duas vezes) e Zico faziam para a festa dos flamenguistas. Eles ainda se enfrentariam na Libertadores de 1981 (três empates) e na semifinal do Brasileiro de 1987 (duas vitórias flamenguistas).

Já Cruzeiro e Santos têm em seu histórico de duelos marcantes a final Taça Brasil de 1966. O Peixe dos anos 60 era um time praticamente imbatível, com Pelé, Pepe, Coutinho, Mengálvio, Dorval, Zito e cia. Em 1966, contudo, o Cruzeiro contava com um elenco de respeito com Raúl Plasmann, Wilson Piazza, Dirceu Lopes e Tostão. Na final da competição - que hoje é reconhecida pela CBF como Campeonato Brasileiro -, os mineiros golearam a primeira partida no Mineirão por 6 a 2. Na volta, no Pacaembu, nova vitória cruzeirense, dessa vez por 3 a 2.

Outro confronto que marcou época foi pelo Campeonato Brasileiro de 2003 - a primeira edição no formato de pontos corridos. O Santos era o atual campeão da competição, após as famosas pedaladas de Robinho para cima do corintiano Rogério, enquanto o Cruzeiro vinha embalado pelos títulos mineiros e da Copa do Brasil no primeiro semestre.

O time de Minas, assim como fez em 2013 e e está fazendo neste ano, disparou na liderança. O Santos mostrou-se como o único concorrente capaz de tirar o título da Toca da Raposa. No entanto, vitórias mineiras tanto no primeiro turno (2 a 0 na Vila Belmiro) quanto no segundo (3 a 0 no Mineirão) garantiram a tríplice coroa para o Cruzeiro.

VEJA OS GOLS DE JOGOS HISTÓRICOS

Flamengo 4 x 1 Atlético-MG (semifinal da Copa do Brasil de 2006)

Flamengo 3 x 2 Atlético-MG (final do Campeonato Brasileiro de 1980)

Flamengo 2 x 2 Atlético-MG (Primeira Fase da Libertadores de 1981)

Cruzeiro 3 x 0 Santos (Campeonato Brasileiro de 2003)

 

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.