Alex Silva/Estadão - 14/9/2012
Alex Silva/Estadão - 14/9/2012

Flagrado na praia, presidente do Palmeiras diz estar tirando o estresse da queda

Arnaldo Tirone se irrita com repercussão de sua esticadinha à praia e diz que clube vai passar por uma tomografia

Daniel Batista, O Estado de S.Paulo

19 de novembro de 2012 | 17h53

SÃO PAULO - O presidente do Palmeiras, Arnaldo Tirone, foi flagrado nesta segunda-feira na praia do Leblon, no Rio de Janeiro, poucas horas depois do rebaixamento da equipe para a Série B do Campeonato Brasileiro. Tirone estava sentado em uma cadeira, sem camisa e de sunga, mandando mensagem pelo telefone. Ele não voltou com a delegação de ônibus para São Paulo. A notícia deixou muitos torcedores irritados. Em entrevista ao Estado, por telefone, o dirigente mostrou-se incomodado com a repercussão que sua decisão de ir à praia teve.

"Fui ao jogo, sofri com o time e nesta manhã de segunda eu tinha uma reunião no Rio de Janeiro. Aproveitei e fiquei por aqui. Qual o problema? Tomei um banho de mar para desestressar. Se o jogo foi em Volta Redonda, no Rio, qual o problema de eu aproveitar e dar uma passadinha na praia? Se o jogo fosse em Piracicaba, até poderiam reclamar de eu estar na praia. Mas foi no Rio de Janeiro. Ficar reclamando disso é maldade pura", defendeu-se o dirigente.

Tirone admitiu que teve uma noite difícil após o rebaixamento do Palmeiras. "Foi duro de dormir. A gente sabe que os erros foram grande e vamos tentar corrigir tudo isso. Temos de fazer uma tomografia no Palmeiras para ver o que aconteceu." Tirone tem uma reunião nesta quarta-feira, em São Paulo, com conselheiros e candidatos à eleição no clube.

Nesta terça-feira, o presidente vai se reunir também com o técnico Gilson Kleina e com o gerente de futebol César Sampaio para dar início ao processo de reformulação da equipe, e para os primeiros passos em busca do acesso à Primeira Divisão. Em 2013, o Palmeiras também disputa a Libertadores da América.

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.