Flamengo anuncia afastamento de dissidentes do Clube dos 13

'Nossa proposta não foi nem discutida, portanto nos retiramos', reclama o presidente do clube, Márcio Braga

Leonardo Maia, Agência Estado

19 de outubro de 2007 | 19h44

O presidente do Flamengo, Márcio Braga, anunciou nesta sexta-feira o afastamento do grupo formado por seu clube e por São Paulo, Botafogo, Atlético Mineiro e Cruzeiro do Clube dos 13, entidade criada para representar os grandes clubes brasileiros há 20 anos. O motivo do divórcio é a gestão do atual presidente Fábio Koff, "autoritária" nas palavras de Braga, o não atendimento do pedido de mudanças no estatuto da entidade e a partilha injusta de verbas do contrato de direito de transmissão com a TV Globo. Veja também:  Dirigente do Clube dos 13 diz que entidade é democrática "Queríamos adaptar o estatuto, que mudou muito pouco desde 1987, ao novo Código Civil brasileiro. Nossa proposta não foi nem discutida, portanto nos retiramos. Além disso, o Clube dos 13 deixou de ser o foro de debate sobre os nossos problemas. Tivemos graves crises no futebol brasileiro, como o escândalo de arbitragens (em 2005), e nada foi feito. Achamos que a entidade deveria ser mais representativa dos clubes", alegou Braga, que foi um dos cabeças na criação da entidade, há duas décadas. O dirigente rubro-negro explica a proposta dos cinco clubes citados, batizados pelo dirigente de G-5, é a indicação de um presidente de em exercício para comandar o órgão. As eleições seriam no fim do ano, mas Fábio Koff quer antecipar o pleito para evitar que os clubes possam se articular melhor, com a indicação de um outro candidato. "O Fábio Koff é um senhor ultrapassado. Há anos que não sabe o que é dirigir um grande clube", disparou Braga, que reclamou do atual contrato de cessão de direitos com a TV Globo, que estará em vigor até 31 de dezembro do ano que vem. "O pay-per-view, por exemplo, é dividido igualmente entre todos os times. Sendo que a maior venda de pacotes está no Rio e, claro, por causa do Flamengo. É justo eu ficar sustentando Juventude, Figueirense, Sport?", disparou. "É por isso que estamos quebrados. A partir de agora, quem negociará o futuro contrato com a Globo ou com qualquer outra emissora seremos nós (o G-5). O Clube dos 13 não nos representa mais. Ele já acabou há muito tempo", decretou Braga, acrescentando que os clubes poderão oficializar no futuro o G-5, e que, apesar de tudo, continuarão a participar da vida política do Clube dos 13.

Tudo o que sabemos sobre:
FlamengoClube dos 13afastamento

Encontrou algum erro? Entre em contato

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.