Bruno Haddad/Divulgação
Bruno Haddad/Divulgação

Flamengo anuncia Cristóvão Borges para vaga de Luxemburgo

Técnico, que estava desempregado, já dirigiu Vasco e Fluminense

Estadão Conteúdo

27 de maio de 2015 | 13h41

Dois dias depois de definir a demissão de Vanderlei Luxemburgo, o Flamengo anunciou nesta quarta-feira seu novo técnico. Será Cristóvão Borges, que iniciou o ano no rival Fluminense e estava há dois meses desempregado, desde que foi demitido do time tricolor. Os detalhes do contrato, como tempo de duração e valores de salário, não foram divulgados por nenhuma das partes.

O Flamengo será o quarto clube de Cristóvão como treinador profissional, sendo o terceiro entre os grandes do Rio. Foi no Vasco que ele começou a carreira e ganhou espaço entre 2011 e 2012, quando substituiu Ricardo Gomes. Antes de assumir o Fluminense, ele ainda comandou em 2013 o Bahia.

Antes de fechar com o time rubro-negro, o treinador esteve próximo de outro clube que estava sem técnico. Ele era alvo do Grêmio para substituir Luiz Felipe Scolari, mas as partes não chegaram a um acordo. O clube gaúcho, então, fechou com o ex-lateral Roger Machado, enquanto Cristóvão iniciou a negociação com o Flamengo.

O novo técnico rubro-negro terá a missão de tirar a equipe do buraco em que se meteu neste início de caminhada no Campeonato Brasileiro. Em três partidas, o Flamengo perdeu duas e empatou somente uma. Os péssimos resultados na competição aliados à queda precoce no Carioca e à pressão da torcida foram os fatores que definiram a demissão de Vanderlei Luxemburgo.

Cristóvão Borges levará com ele para o Flamengo o preparador físico Rodrigo Poletto e o auxiliar-técnico Cassiano de Jesus. Ele dará seu primeiro treino nesta quinta-feira. No duelo contra o Náutico nesta quarta, às 22 horas, no Maracanã, pela Copa do Brasil, a equipe será comandada pelo auxiliar Jayme de Almeida.

Tudo o que sabemos sobre:
futebolFlamengoCristóvão Borges

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.