Flamengo anuncia patrocínio para futebol e basquete

Equipe carioca fecha acordo de R$ 8,5 milhões com Banco BMG e fica tranquila em relação às finanças

AE, Agencia Estado

12 de fevereiro de 2010 | 10h35

O Flamengo fechou mais um acordo de patrocínio na noite de quinta-feira. Trata-se do Banco BMG, que estampará sua marca nos uniformes do time de futebol e da equipe de basquete do clube. Ao todo, a empresa investirá R$ 8,5 milhões por um contrato de um ano. Desse valor, R$ 8 milhões será destinados para o futebol e R$ 500 mil reais para o basquete.

O valor total, contudo, poderá chegar à R$ 10,5 milhões por causa das premiações. Se o time do técnico Andrade alcançar a semifinal da Copa Libertadores, o banco pagará mais R$ 500 mil. A mesma quantia será desembolsada caso a equipe chegue à decisão. E, se o Flamengo levar o título, o patrocinador pagará mais R$ 1 milhão.

O banco estampará as mangas dos uniformes principais e de treinos das equipes de futebol (da base e do profissional), além de aparecer na frente e nas costas do time de basquete. O novo patrocinador aparecerá nas camisas do Flamengo já na partida da próxima quarta-feira, contra o Botafogo, pela semifinal da Taça Guanabara.

A definição de mais um patrocínio foi comemorado pela diretoria do Flamengo. "Hoje temos o melhor contrato de patrocínio do Brasil. O valor da Batavo junto com o do BMG soma 30,5 milhões e isso é uma grande vitória para a nossa gestão. E desta vez, ainda conseguimos envolver além do futebol, um esporte olímpico e este será sempre o nosso objetivo", disse o vice-presidente de marketing Henrique Brandão.

Para a presidente Patrícia Amorim, o novo acerto dá um novo fôlego para as finanças do clube. "O Flamengo vive um momento de consolidação de seu presente e de prospecção de seu futuro. Nosso presente está sob controle. Não diria que equacionado, mas administrável. Esse patrocínio vai dar tranquilidade para o pagamento de compromissos", declarou.

Tudo o que sabemos sobre:
futebolFlamengopatrocínio

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.