Gilvan de Souza/Flamengo
Gilvan de Souza/Flamengo

Flamengo aposta no banco de reservas para seguir sonhando com o título

Henrique Dourado marcou o gol da vitória sobre o Santos por 1 a 0 nesta quinta-feira

Estadão Conteúdo

16 de novembro de 2018 | 10h58

Faltando quatro rodadas para o fim do Brasileirão, o Flamengo deve apostar no seu banco de reservas para seguir sonhando com o título. Em terceiro lugar na tabela, o time carioca tem 63 pontos e está a sete do líder Palmeiras. A diferença foi mantida na rodada com a vitória sobre o Santos por 1 a 0, na quinta, justamente com a ajuda de reservas.

O único gol da partida foi marcado por Henrique Dourado, que contou com ajuda de Orlando Berrío. Ambos entraram em campo somente no segundo tempo. "É agora que a força do elenco se faz presente. Ganhamos com três alterações e dois participaram diretamente do resultado, o que é um fato muito importante", destaca Dorival Júnior.

Contra o Santos, o treinador precisou recorrer ao banco antes mesmo do início da partida. Isso porque tinha seguidas baixas entre os titulares, caso de Lucas Paquetá, Willian Arão, Cuéllar e Renê, todos suspensos. Lincoln e Trauco estavam com as seleções brasileira sub-20 e peruana, respectivamente. E Juan e Geuvânio estão machucados.

Lincoln e Trauco seguem com suas seleções e são baixas certas novamente para o jogo contra o Sport, domingo, na Ilha do Retiro, pela 35ª rodada. E Juan e Geuvânio têm chances pequenas de voltarem ao time no fim de semana, o que deve fazer o treinador novamente contar com reforços do banco.

Dorival não esconde a satisfação com o rendimento dos reservas em campo. "Ver a equipe atuar bem e dominando a partida, como foram alguns dos últimos jogos, passa uma certeza maior do que aquele que fazemos uma opção para alterar um jogador por momento do jogo e ele faz gol."

Na sua avaliação, o time vem atuando em bom nível mesmo quando desfalcado. "Valorizo mais o conjunto do trabalho do que atitudes individuais. Todos estão tentando ler a partida para fazer alterações de várias formas", analisa.

 

 

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.