Flamengo apresenta Juninho e Leonardo

O Flamengo apresentou nesta segunda-feira seus dois principais reforços para a temporada de 2002: os meias Juninho Paulista e Leonardo. Logo ao chegar na sede do clube, na Gávea, zona sul, Juninho, ex-Vasco, sentiu a pressão dos torcedores rubro-negros que o cercaram e o ?saudaram? com um banho de sal grosso, galhos de arruda, além de folhas da planta conhecida como Espada de São Jorge, para "espantar o mau-olhado e os maus fluidos".Juninho entrou no espírito festivo e disse não se importar com a brincadeira dos cerca de 100 torcedores que foram recepecioná-lo. "Acho que não terei problemas com eles por causa do Vasco", considerou o jogador. "Fui bem recebido e espero retribuir todas as demonstrações de carinho com boas atuações dentro do campo."Sobre o Vasco, Juninho disse não guardar mágoas de ninguém, mas lamentou ter sido obrigado a entrar na Justiça para receber "o que tem direito". O meia cobra de seu antigo clube cerca de R$ 13 milhões referentes a direitos trabalhistas e de imagem. Durante a apresentação, Juninho vestiu a tradicional camisa de número 10 do Flamengo, que pertenceu ao maior ídolo da história rubro-negra, Zico. Apesar de inicialmente relutar, o jogador beijou a camisa do novo clube e ainda disse que este era um sonho de criança.Atualmente, a tradicional camisa rubro-negra era usada pelo meia Petkovic, que não permanecerá no elenco, segundo o presidente do clube Edmundo Santos Silva.Já Leonardo aproveitou a apresentação para avisar que não veio com a obrigação de ser o líder da equipe. Segundo o jogador, esta é uma posição que se conquista e não pode ser imposta. Ele afirmou estar feliz por retornar ao clube, onde iniciou sua carreira, depois de 11 anos.Leonardo disse não temer a falta de entrosamento com Juninho, já que atuaram juntos no São Paulo. "Conheço o Juninho há oito anos, quando ele veio do Ituano para o São Paulo. Sempre foi uma excelente pessoa", afirmou Leonardo.Reforços e ameaça - O presidente do Flamengo informou que já conversou com o meia Rodrigo, do Botafogo, na tentativa de levá-lo para a Gávea. O dirigente, porém, disse que a negociação pode não ser concretizada, por causa da nova política orçamentária do clube. Além do Rubro-Negro, o Palmeiras também está interessado no meia. "O grande problema é o de disponibilizar recursos para a negociação", disse Edmundo, que ameaçou seguir o exemplo do Vasco e barrar a entrada da imprensa no Flamengo, caso o clube não seja tratado pelos jornalistas da maneira como ele acha que deva.

Agencia Estado,

07 de janeiro de 2002 | 15h12

Encontrou algum erro? Entre em contato

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.