Fernando Souza/CBF
Fernando Souza/CBF

Flamengo pede liminar ao STJD para decidir confronto da Copa do Brasil com Athletico-PR em casa

Reclamação se refere a restrição aplicada ao sorteio dos mandos de campo, no qual o clube não poderia disputar a partida de ida ou volta na mesma cidade que o Fluminense

Redação, Estadão Conteúdo

20 de julho de 2022 | 12h15
Atualizado 20 de julho de 2022 | 23h04

O Flamengo acionou o Superior Tribunal de Justiça Desportiva (STJD) para pedir uma liminar que permita ao time jogar em casa a segunda partida das quartas de final da Copa do Brasil. O sorteio dos confrontos da competição, realizado na terça, havia definido que a equipe carioca realizaria o segundo jogo contra o Athletico-PR em Curitiba.

O sorteio, na sede da CBF, definiu os duelos e a ordem dos mandos de campo nas quartas de final - Atlético-GO x Corinthians, Fortaleza x Fluminense, São Paulo x América-MG e Athletico-PR x Flamengo.

A reclamação do time carioca se refere a uma restrição aplicada ao sorteio dos mandos de campo. Classificados às quartas, Flamengo e Fluminense não poderiam jogar em casa na mesma perna dos seus confrontos, seja de ida ou de volta, por questões de segurança. A mesma regra se aplicaria aos paulistas Corinthians e São Paulo.

A regra acabou causando uma mudança na ordem dos mandos. Inicialmente, tanto o Fla quanto Flu foram sorteados para jogarem em casa a segunda partida dos seus confrontos. Mas, diante da restrição, houve novo sorteio para definir quais dos dois duelos teriam seus mandos alterados para evitar a coincidência de jogar dois times cariocas no Rio no mesmo dia. E a nova definição apontou para a inversão do mando do Flamengo.

A regra não é novidade e já havia sido aplicada no sorteio das oitavas de final. Na ocasião, a situação se repetiu, mas com resultado diferente. Foi o Fluminense que teve o mando de campo invertido, tendo que enfrentar o Cruzeiro fora de casa na segunda partida do duelo.

A mudança no mando de campo incomodou a torcida rubro-negra e a direção do clube, que entrou com uma Medida Inominada no STJD na noite de terça. O Flamengo alegou que a alteração foi "indevida, injustificada e irregular" e que causará "inegável e irremediável prejuízo desportivo ao ora requerente".

O clube rebateu as declarações oficiais da CBF, que publicou nota ainda na noite de terça para explicar e reiterar as regras do sorteio. O Fla argumentou que a regra não consta no Regulamento Geral de Competições (RGC) e no Regulamento Específico da Competição (REC) da CBF.

"Não havendo qualquer previsão no REC ou no RGC, pelo contrário, prevendo estes regulamentos que os mandos de campo seriam fruto de sorteio, se mostra indevido e ilegal o direcionamento realizado, devendo ser corrigida esta irregularidade para que se reconheça o direito de o Flamengo mandar a partida de volta da 5ª fase da Copa do Brasil em seu estádio", disse o clube.

Por fim, o Flamengo alegou que o clube e o Fluminense podem jogar a mesma perna do confronto no Rio de Janeiro em dias diferentes, já que a programação das quartas da Copa do Brasil prevê dois dias para os jogos numa mesma semana. E lembrou que nas oitavas de final o próprio Fla e o Botafogo mandaram suas partidas em casa no Rio, na mesma perna, em dias consecutivos.

LIGA FORTE FUTEBOL SE POSICIONA

Grupo publicou na noite desta quarta-feira uma nota mostrando contrariedade à manifestação judicial do Flamengo. A Liga Forte Futebol defende que o formato do sorteio é de conhecimento de todos e funciona desta maneira há muitos anos e questiona os motivos para o clube rubro-negro não ter se posicionado contra o modelo anteriormente.

A Liga Forte Futebol vem a público se manifestar acerca da notícia veiculada na mídia de que o Clube de Regatas do Flamengo ingressou com pedido perante o Superior Tribunal de Justiça Desportiva – “STJD” requerendo a alteração do mando de campo nas partidas a serem realizadas contra o Club Athlético Paranaense, válidas pelas quartas de final da Copa do Brasil 2022:

Inicialmente, é relevante destacar que, dos oito clubes que ainda disputam a Copa do Brasil 2022, cinco deles fazem parte desta Liga, razão pela qual estiveram presentes no sorteio realizado na sede da Confederação Brasileira de Futebol – CBF.

Todos os Clubes do futebol brasileiro têm plena ciência de que a prática do sorteio casado e com inversão da ordem dos Clubes, que ocorre em razão das demandas da Televisão e das autoridades de segurança, é realizada há mais de 15 (quinze) anos, sem nunca ter sido objeto de questionamento por quaisquer das agremiações desportivas, nem mesmo quando o próprio CR Flamengo se beneficiou para jogar a segunda partida das oitavas de final contra o Clube Atlético Mineiro no Maracanã.

Caso algum Clube pretenda alterar o referido costume, não haverá resistência por parte da Liga Futebol Forte, desde que seja feito ANTES do início da competição, com a anuência de todos e sem prejuízo para qualquer agremiação.

O que não é aceito é a tentativa de utilização da Justiça Desportiva, no curso da competição e APÓS a realização do sorteio, para alteração de uma prática há muito consolidada e aceita pelas agremiações, exclusivamente porque, dessa vez, o CR Flamengo sentiu-se prejudicado, mesmo tendo sido beneficiado pelo mesmo critério há cerca de um mês. Insista-se: naquele momento era bom, agora é ruim?

O respeito às regras, costumes e igualdade entre todos os competidores é princípio básico para realização de qualquer campeonato, ainda mais quando se tem como objetivo caminhar para a consolidação de uma futura LIGA e união do clubes. Com apenas um clube privilegiado ficará difícil, sob pena, inclusive, da paralisação do campeonato em razão dos inúmeros  recursos jurídicos que podem ser interpostos caso haja uma decisão favorável.

Pelo exposto, a LFF espera que o sorteio realizado na CBF seja mantido, e que sejam logo definidas as datas, horários e locais dos jogos, sob pena de aumentar o prejuízo com a logística dos Clubes que precisam organizar as respectivas viagens e até agora não possuem qualquer divulgação das datas da próxima fase.

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.