Flamengo busca a reabilitação no jogo contra o Grêmio

Em condições normais, Flamengo x Grêmio seria um clássico sem favorito. No entanto, no jogo deste domingo, às 18h30, no Engenhão, qualquer resultado que não seja a vitória do clube tricolor gaúcho deve ser interpretada como uma grande surpresa. Cada vez mais consistente, o time é o terceiro no Campeonato Brasileiro e parece disposto a brigar pelo título. Já o Flamengo vive situação oposta e está bem próximo da zona de rebaixamento. A equipe, apática na maior parte da competição, perdeu as últimas quatro partidas.

SÍLVIO BARSETTI, Agência Estado

16 de setembro de 2012 | 07h36

Para piorar, o técnico Dorival Junior não vai poder contar com dois jogadores escalados no meio de semana contra o Santos: o zagueiro Welinton e o meia Mattheus estão contundidos. Contrariado com o rendimento do Flamengo e pressionado para dar logo a volta por cima, o treinador barrou Luiz Antonio e deve optar por improvisar Leonardo Moura no meio. Em seu lugar, na lateral direita, entraria Wellington Silva.

Enquanto o técnico tenta montar o quebra-cabeça para chegar a uma formação ideal, os dirigentes fazem apelo à torcida para que compareça em bom número e incentive o Flamengo o tempo todo. Para obter respaldo do público na arquibancada do Engenhão, o clube decidiu fazer uma promoção e baixou o preço dos ingressos, que variam de R$ 10 a R$ 30.

Apesar de atuações irregulares, o meia Ibson é um jogador que ainda goza do respeito dos flamenguistas. Para ele, a partida contra o Grêmio pode representar uma nova etapa para o time carioca. "Vencer um adversário tão poderoso como o Grêmio daria novo ânimo à equipe. Já passei por momentos piores aqui no Flamengo, ficamos chateados e tristes, pois ninguém quer ver o clube assim", declarou.

Ele também fez coro à diretoria e pediu o apoio do torcedor rubro-negro. "A torcida do Flamengo é diferente. Se estiver ao nosso lado, vai nos ajudar a mudar essa situação".

Tudo o que sabemos sobre:
futebolBrasileirãoFlamengo

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.