Marcelo Cortes/Flamengo
Marcelo Cortes/Flamengo

Flamengo busca refúgio em Atibaia para ter paz e amenizar pressão após vaias ao time

Equipe carioca perdeu em casa para o Fortaleza por 2 a 1 e ouviu muitas críticas da torcida no Maracanã

Redação, O Estado de S.Paulo

06 de junho de 2022 | 16h04

O Flamengo "fugirá" de possível pressão de sua torcida no Rio de Janeiro nos próximos dias. Até o fim de semana, a preparação para os dois próximos jogos no Brasileirão será em Atibaia, no interior de São Paulo. No refúgio, o técnico Paulo Sousa será obrigado a resgatar o caminho das vitórias para amenizar a crise e também para salvar seu emprego. A equipe vinha de quatro triunfos seguidos antes de perder para o Fortaleza por 2 a 1 no Maracanã, no domingo.

Recuperar o moral com o elenco é tarefa adicional. O português sofre enorme processo de "fritura" no clube, é ofendido pelos torcedores a cada jogo — foi bastante vaiado na partida diante do time cearense — e viu suas declarações pós-jogo serem mal digeridas internamente.

A sinceridade do treinadore em avaliar as partidas parece estar jogando contra. Ele reclamou muito dos erros individuais diante do time cearense e o fato de não tomar partido, atirando a culpa no elenco, não caiu nada bem. A diretoria resolveu dar novo voto de confiança, mas já sofre cobranças pela mudança.

O Flamengo trabalha em Atibaia nesta terça-feira. O elenco fez reabilitação ainda no Rio após a derrota. O próximo compromisso é diante do não menos questionado Red Bull Bragantino, quarta-feira, no Nabi Abi Chedid. Após a partida, o grupo seguirá em Atibaia até viajar para Porto Alegre, onde sábado encara o Internacional, no Beira-Rio.

Paulo Sousa terá problemas para escalar o time em Bragança Paulista. Os zagueiros Pablo e David Luiz terão de cumprir suspensão pelo acúmulo de cartões amarelos, assim como o atacante Bruno Henrique. Arrascaeta, com a seleção uruguaia, é outra baixa. Por outro lado, o treinador terá o retorno de Gabriel Barbosa, batedor oficial de pênaltis. Contra o Fortaleza, com 1 a 1, Pedro desperdiçou uma cobrança. O técnico admitiu nos vestiários que não havia um nome definido para a situação.

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.