Gilvan de Souza| Divulgação
Gilvan de Souza| Divulgação

Em nota, Fla repudia tentativa de agressão a César Martins

Ataque aconteceu na saída de um supermercado

Estadão Conteúdo

27 de maio de 2016 | 12h59

Alguns torcedores do Flamengo protagonizaram mais um episódio lamentável de violência no futebol na última quinta-feira, ao tentarem agredir o zagueiro rubro-negro César Martins na saída de um supermercado na região da Barra da Tijuca. O próprio clube confirmou o episódio através de nota oficial nesta sexta e repudiou a atitude dos vândalos.

"O Clube de Regatas do Flamengo repudia a tentativa de agressão ao zagueiro César Martins, sua esposa e ao filho de dois anos. O ato de covardia aconteceu quando o zagueiro estava saindo de um supermercado próximo à Arena Carioca 2, local do jogo de basquete entre Flamengo x Bauru", explicou o Flamengo.

Segundo relatos, estes torcedores deixavam a Arena Carioca 2 após a derrota do Flamengo para o Bauru no segundo jogo da decisão do NBB, quando reconheceram César Martins na saída de um supermercado. Eles começaram a ofender o zagueiro, que tentava deixar o local. Mesmo vendo que a esposa e o filho do jogador estavam com ele, chutaram e arremessaram objetos no seu carro.

"Hoje, um grupo de marginais, pois não podem ser chamados de torcedores, cercaram meu carro onde estavam minha família e eu, na saída de um supermercado. Além de xingamentos, tacaram latas de cerveja e tive o vidro do meu carro quebrado. Minha esposa e meu filho ficaram bastante assustados. Graças a Deus, apesar do susto, nós estamos bem", explicou César Martins nas redes sociais.

Com apenas mais um mês de contrato de empréstimo com o Flamengo, César Martins estava praticamente descartado pela comissão técnica por não ter agradado nesta passagem de quase um ano no clube. O jogador, no entanto, foi chamado às pressas para reintegrar o elenco depois que Juan se lesionou na última quarta.

"Tenho contrato em vigor com o Flamengo e jamais disse que não jogarei mais pelo clube. Estou à disposição como sempre estive para defender as cores do Flamengo. Aceito as cobranças que são feitas dentro de campo e de forma saudável. Mas infelizmente ainda existem pessoas desse tipo, que usam o futebol para cometer crimes", disse ele.

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.