Flamengo critica gramado, mas quer ficar no Engenhão

O estado do gramado do Engenhão irritou Dorival Júnior, que reclamou da situação após o clássico contra o Botafogo, no domingo, mas o técnico do Flamengo ressaltou que prefere manter o time mandando as suas partidas no estádio. O treinador ressaltou que não gostaria de ver a equipe atuando longe do Rio.

AE, Agência Estado

27 de agosto de 2012 | 14h57

"O estado do gramado do Engenhão é um fato que está desequilibrando a maioria dos jogos, deixando as partidas monótonas, feias. É difícil ter velocidade e qualidade assim. Mas o Flamengo vai jogar onde foi determinado e eu não gostaria de sair do Rio de Janeiro porque aqui o nosso torcedor fica mais próximo", disse.

O Engenhão foi o estádio que mais recebeu partidas no primeiro turno do Campeonato Brasileiro - 26 - e o número poderia até ser maior se duelos do Fluminense e do Flamengo não fossem transferidos para Volta Redonda. O único jogo que resta para ser disputado no turno, entre Flamengo e Atlético Mineiro, inclusive foi adiado sob a alegação de que as condições do gramado do Engenhão eram ruins e posteriormente remarcado para o Raulino de Oliveira.

O estádio de Volta Redonda vai receber os próximos dois jogos do Flamengo como mandante no Campeonato Brasileiro, contra Sport, em 30 de agosto, e Ponte Preta, no dia 5 de setembro. O próximo duelo do time no Engenhão será apenas em 16 de setembro, contra o Grêmio, pela 25ª rodada.

Tudo o que sabemos sobre:
futebolBrasileirãoFlamengo

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.