Flamengo derrota Atlético-PR por 2 a 1

Em um jogo com quatro expulsões e três pênaltis, o Flamengo venceu o Atlético-PR, por 2 a 1, neste sábado à noite, no Maracanã. O Rubro-Negro não demonstrou um bom desempenho, mas apresentou determinação em campo para somar três pontos na tabela de classificação, totalizando 45. A equipe paranaense permaneceu com 39. O Flamengo conseguiu impor seu ritmo de jogo no primeiro tempo e, o gol logo aos 14 minutos, em um belo chute de Rafael, encobrindo o goleiro, contribuiu para dar tranqüilidade ao time. O Atlético-PR pouco ameaçou o Rubro-Negro, que conseguiu neutralizar as jogadas de ataque dos paranaenses. Se na primeira etapa a partida apresentou pouca movimentação, o segundo tempo foi marcado pelas várias alternativas de gol para ambas equipes. Logo aos seis minutos, o juiz contribuiu para tumultuar o espetáculo exigindo que alguns atletas do Atlético-PR retornassem ao vestiário para trocar a bermuda térmica (acessório que fica por baixo do calção). Alegou que a cor da peça era preta e deveria ser da cor do uniforme: dourada. Aos 18 minutos, o árbitro marcou um pênalti cometido pelo volante rubro-negro Fábio Baiano no atacante Dagoberto. Um minuto depois, o também atacante Alex Mineiro cobrou e empatou a partida. Mineiro ainda desperdiçou a oportunidade de virada do Atlético-PR, ao cobrar um pênalti no travessão, aos 26 minutos. Por ter cometido a infração sobre Dagoberto, o volante Fabinho foi expulso pelo juiz. Dois minutos antes, o time paranaense já havia perdido o meia Douglas Silva, expulso por causa de uma falta no atacante Edílson. Se o Atlético-PR não aproveitou a chance de passar à frente do placar, Edílson marcou o gol da vitória rubro-negra aos 31 minutos, após cobrar um pênalti, assinalado porque o meia Jackson ajeitou a bola com a mão.Com a vitória parcial, o Flamengo procurou tocar a bola para assegurar a vantagem. Antes do final da partida, o juiz ainda expulsou Dagoberto, aos 40 minutos, por simular um pênalti, e Rafael, que cometeu uma falta em Mineiro, aos 44 minutos. A cobrança da infração foi a última oportunidade para o Atlético-PR empatar a partida, que só não ocorreu porque o goleiro Júlio César fez uma bela defesa.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.