Flamengo derrota Coronel Bolognesi pela Libertadores

Goleiro Bruno marca o primeiro na vitória por 2 a 0; resultado deixa time com a 2.ª melhor campanha

Leonardo Maia, O Estado de S. Paulo

23 de abril de 2008 | 21h41

Não foi nem perto do que time e torcida esperavam, mas o Flamengo derrotou o Coronel Bolognesi por 2 a 0, nesta quarta-feira, no Maracanã, pela Copa Libertadores. O herói da noite foi o goleiro Bruno, que marcou o primeiro gol de falta quando a partida estava complicada para os rubro-negros.   Veja também:  Classificação  Calendário e resultados  Bate-Pronto: Análise das oitavas-de-final   Com o resultado, o Flamengo termina a fase de grupos com 13 pontos, líder do Grupo 4 e em segundo lugar no geral. O Nacional, que derrotou o Cienciano, ficou em segundo, com 12 - o Flamengo vai pegar o América (MEX) nas oitavas.   O primeiro tempo foi inteiramente dominado pelo Flamengo. Mas o time de Joel Santana parecia proibido de arrematar a gol. Trocava passes, tabelava, invadia a área peruana e, na hora do chute, mais um toque e mais outro, desperdiçando seguidas oportunidades.   A melhor chance foi uma cabeçada de Marcinho na trave, logo aos sete minutos, depois de boa jogada entre Leonardo Moura e Kléberson. Estes dois, por sinal, viviam papéis invertidos.   Com as ausências de Renato Augusto e Íbson, poupados com dores musculares, Joel puxou o lateral-direito para o meio, onde tentava exercer a função de armador. Já o meia Kléberson jogava como ponta-direita. Não deu muito certo, posto que Leo Moura jogava muito mal.   Precisando de cinco gols para ser o time de melhor campanha, o Flamengo mostrava muita disposição mas pouca eficiência, contra a melhor defesa da competição. O Coronel Bolognesi havia sofrido apenas três gols em cinco jogos. Flamengo 2 Bruno; Jaílton, Fábio Luciano e Ronaldo Angelim; Cristian (Diego Tardelli), Leonardo Moura, Toró     (Obina), Juan e Kléberson; Marcinho     e Souza (Gavilán) Técnico: Joel Santana Bolognesi 0 Penny; Revoredo    , Cortez, Balbín e Ostersen (Farfán); Uribe    , Vasquez    , Liñares     (Novoa) e Alvarez; Gonzáles (Mostto) e Ross Técnico: Juan Reynoso Gols: Bruno, aos 37; Obina, aos 43 minutos do segundo tempoÁrbitro: Ivan Gamboa (BOL)Estádio: Maracanã Antes do intervalo, Toró ainda teve grande chance à queima-roupa, mas Penny apareceu muito bem.   Joel tentou remediar a falta de finalizações trocando Cristian por Diego Tardelli. Mas o panorama não mudou, apesar de Tardelli ter chutado com perigo aos 14 minutos.   O castigo quase veio aos 22, quando Ross perdeu, livre, de cabeça. O Flamengo foi para o tudo ou nada com Obina no lugar de Toró. Um jogo tido como vitória certa ficava dramático. Eis que surgiria o herói da noite. Como os jogadores de linha não resolviam, o goleiro Bruno resolveu atender os pedidos da torcida e cobrou falta com categoria, aos 37 minutos, para garantir a primeira colocação do grupo 4 e o direito de fazer o segundo jogo das oitavas-de-final em casa.     Atualizado às 0h55 desta quinta-feira para acréscimo de informação

Tudo o que sabemos sobre:
FlamengoCopa Libertadores

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.