Flamengo derrota Vasco e vai à final da Taça Guanabara

Atacante Edmundo erra pênalti e vê rival garantir classificação para enfrentar o Botafogo

Agência Estado,

17 de fevereiro de 2008 | 18h26

Com bela atuação, o Flamengo venceu o Vasco por 2 a 1 de virada, no Maracanã, e fará a final da Taça Guanabara contra o Botafogo, no próximo domingo. E Edmundo, que havia dito que não pretendia ser protagonista, foi exatamente isso, mas não do jeito que gostaria. O atacante perdeu um pênalti quando o placar ainda apontava 1 a 1.    Veja também:  Zagueiros comemoram gols da vitória do Flamengo   O Flamengo começou melhor, com bom toque de bola e usando bem os laterais Juan e Leonardo Moura. No meio, Jônatas aparecia bem, alternando-se na marcação de Edmundo com Jaílton. Kléberson mostrava vontade, mas errava passes por excesso de força.   No Vasco, a estrela da tarde esforçava-se, voltando para buscar jogo. Jogando recuado, a tática vascaína era explorar os contra-ataques. O Flamengo, então, ocupava o campo que o adversário lhe cedia e ditava o ritmo cadenciado.   Foram quatro chances claras de gol rubro-negras antes de meia-hora. Juan e Diego Tardelli entraram livres, mas esbarraram em Tiago. Mais tarde Tardelli fez lindo passe pelo alto para Souza, que cabeceou na trave.   Foi aí que o Vasco fez o rival pagar pelo gols perdidos. Em rápido contra-ataque iniciado por Edmundo, os cruzmaltinos saíram na frente. Com a defesa desarrumada, Alan Kardec recebeu na entrada da área e girou bonito na frente de Ronaldo Angelim para marcar um belo gol.   A partir daí, o Vasco subiu de produção, mas mantendo a mesma estratégia: roubadas de bola no meio e saída rápida para o ataque. Os jogadores rubro-negros, nervosos, erravam passes e permitiam aos adversários levar perigo ao gol de Bruno.   Ironicamente, quando mal no jogo, o Flamengo empatou. Depois de perder um lance livre na pequena área, Fábio Luciano se redimiu ao completar de cabeça cruzamento de Juan, aproveitando pela primeira vez uma das inúmeros falhas da zaga vascaína.   O jogo que já era agitado viveria lance capital logo no início do segundo tempo. Íbson fez pênalti flamengo 2 Bruno; Leonardo Moura, Fábio Luciano, Ronaldo Angelim, Juan; Jaílton, Jônatas     (Cristian    ), Íbson e Kléberson (Obina); Diego Tardelli (Marcinho) e Souza Técnico: Joel Santana vasco 1 Tiago; Rodrigo Antônio    , Jorge Luiz, Vilson, Calisto; Jonílson, Amaral, Morais     e Alex Teixeira (Xavier); Edmundo     e Alan Kardec (Abuda) Técnico: Alfredo Sampaio Gols: Alan Kardec, aos 32 minutos. Fábio Luciano, aos 42 minutos do primeiro tempo. Ronaldo Angelim, aos 35 minutos do segundo tempoÁrbitro: Gutemberg de Paula FonsecaRenda: R$ 1.141.995,50Público: 56.806 pagantesEstádio: Maracanãem Morais, bem marcado pelo juiz. O meia é o cobrador oficial do Vasco, mas a torcida pediu e Edmundo foi bater. O atacante chutou muito mal, fraco, nas mãos de Bruno.   O lance despertou o Rubro-Negro, que voltou a dominar o jogo com bom toque de bola. Íbson obrigaria Tiago a realizar grande defesa aos 13 minutos. Kléberson desperdiçaria chance incrível minutos depois, quando Marcinho estava livre na área para marcar.   Joel resolveu ganhar o jogo, colocando Obina no lugar de Kléberson e Cristian no lugar de Jônatas. O Flamengo melhorou ainda mais e desperdiçava seguidas oportunidades. Souza perdeu gol incrível aos 28 minutos, sozinho na marca do pênalti.   No Vasco, Alan Kardec, machucado, deu lugar a Abuda. Xavier e Andrada entraram no lugar de Alex Teixeira e Amaral.   Mas nada mudava o panorama da partida e a justiça se fez aos 35 minutos de segundo tempo, quando Ronaldo Angelim cabeceou colocado. A bola ainda bateu na trave antes de entrar.   Sem outra opção, o Vasco foi à frente, mas sem organização ou inteligência e o Flamengo cozinhou a vantagem até o apito final.

Tudo o que sabemos sobre:
Estadual do RioFlamengoVasco

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.