Marcos de Paula/Estadão
Marcos de Paula/Estadão

Flamengo diz que 'não era o momento certo' de vender Hernane

Negociação com a China quase tira o atacante do jogo contra o Emelec

Ronald Lincoln Jr., O Estado de S. Paulo

27 de fevereiro de 2014 | 15h49

RIO - O Flamengo confirmou oficialmente nesta quinta-feira a permanência do atacante Hernane no clube. O jogador, que se destacou pelo time em 2013, estava sendo negociado com o Shangai Shenhua, da China. Sua transferência estava quase definida, mas o clube carioca preferiu mantê-lo pelo menos até o fim da Copa Libertadores da América, após não receber as garantias bancárias do time chinês para que a venda do atleta fosse concretizada.

Segundo o diretor executivo de futebol do Flamengo, Paulo Pelaipe, o clube considerou que não seria bom negociar o goleador em um momento no qual o time faz boa campanha no Campeonato Carioca e está disputando a Copa Libertadores.

"O Flamengo está pensando no (Campeonato) Carioca e na Libertadores. Por isso, achamos que não era o momento certo de vendê-lo", disse o dirigente, destacando também que a vontade do próprio Hernane influenciou na sua permanência. "Ele achou que também não devia sair", revelou.

A janela de transferências da China se encerraria na sexta-feira e os cartolas rubro-negros exigiram que a multa rescisória fosse paga à vista antes de liberar Hernane, mas os dirigentes do Shangai Shenhua pediram um tempo a mais para quitar o valor, o que não foi aceito pelo Flamengo.

A negociação quase tirou o atacante do jogo contra o Emelec, na última quarta-feira, no Maracanã, pela Libertadores. Mas, como a mesma não foi concretizada, Hernane foi a campo normalmente a ainda marcou um dos gols da vitória por 3 a 1 do time rubro-negro.

Tudo o que sabemos sobre:
futebolFlamengoHernane

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.