Flamengo e Botafogo voltam ao Maracanã após três anos

Última partida entre os times no estádio ocorreu antes da reforma do estádio, em julho de 2010

LEONARDO MAIA, Agência Estado

28 de julho de 2013 | 08h32

RIO - Primeiro foram os torcedores de Fluminense e Vasco. Agora a festa é para rubro-negros e alvinegros. Depois de quase três anos, Flamengo e Botafogo retornam ao Maracanã para um clássico que promete ser movimentado. A partida, às 18h30, pela nona rodada do Campeonato Brasileiro, marcará o embate entre uma equipe que vai de vento em popa na competição contra outra que oscila entre derrotas e vitórias.

O time alvinegro só perdeu a liderança no meio de semana porque o Internacional teve sua partida contra o São Paulo adiantada da 12.ª rodada. O rival rubro-negro vive na gangorra do perde e ganha e patina próximo à zona de rebaixamento.

"O Flamengo precisa ser melhor que o Botafogo, sabemos como é difícil pela fase deles e sua posição na tabela, mas também temos condição de, se continuarmos evoluindo, fazer um jogo ainda melhor", disse o técnico Mano Menezes, que observa melhora gradativa em sua equipe desde sua chegada. "Em quatro jogos enfrentamos dois líderes. A dificuldade maior de enfrentar esses adversários que estão nas primeiras posições é que atesta o rendimento do momento".

Por outro lado, os botafoguenses não derrotam os rivais desde 2000 em Brasileiros, em um período em que acumularam oito derrotas e 12 empates. Mas a confiança está nas alturas em General Severiano, como atesta o técnico Oswaldo de Oliveira. "Adoro o romantismo do futebol. Mas hoje o Botafogo e o Flamengo vivem outra realidade. O que se considera e se prepara para esse jogo passa longe dessa estatística", disse o comandante alvinegro, com a certeza da grande possibilidade de pôr fim à série negativa.

A partida, além de ser histórica pela volta dos clubes ao Maracanã, será marcante para Oswaldo de Oliveira, que vai celebrar seu centésimo jogo à frente da equipe. "Não estou contabilizando e só fiquei sabendo agora.

Mas não que não julgue importante. É algo que me enche de orgulho", destacou.

Enquanto isso, Mano Menezes se preocupa em como fazer para superar um time ajustado, entrosado e guiado pela maestria de Seedorf. "A forma de anulá-lo é o Flamengo ser melhor que o Botafogo. É impossível durante 90 minutos. Você sabe que ele vai fazer algo bom no jogo. Tenho que minimizar isso", frisou.

Se há alguma vantagem a pender para a turma de Mano Menezes é o fato de terem descansado durante a semana, enquanto que os rivais enfrentaram o desgaste de uma partida e de uma viagem à fria Florianópolis, onde sofreram para superar o Figueirense pela Copa do Brasil. O que força Oswaldo de Oliveira a não fazer mistério. "Vou pensar um pouco, mas não tenho como mudar muito", disse o técnico botafoguense.

Mano Menezes contará com o retorno do meia-atacante Gabriel, mas a falta de ritmo o deixará no banco de reservas. O volante paraguaio Cáceres está vetado, o que mantém Diego Silva no time titular.

Tudo o que sabemos sobre:
futebolBrasileirãoFlamengoBotafogo

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.