Flamengo é campeão da Taça Guanabara

Mais uma vez Fluminense e Flamengo protagonizaram um clássico dramático e disputado no Maracanã. E o Rubro-Negro, novamente, levou a melhor, derrotando o rival, por 3 a 2, e conquistando sua 16º Taça Guanabara. O lateral-esquerdo Roger, herói na primeira partida entre os dois times na fase de classificação, quando marcou os dois gols da virada, foi o autor do gol que garantiu o título. Roger é jogador do Corinthians e está emprestado ao Flamengo até o final do ano. O jogo começou como esperado, com as duas equipes disputando todas as bolas, abusando da velocidade de seus jogadores. No Flamengo, Felipe ditava o ritmo, enquanto o Fluminense aproveitava a habilidade e a experiência do quarteto mágico formado por Ramon, Roger, Edmundo e Romário. Era a primeira vez que eles atuavam juntos e o desentrosamento ficou nítido. Apesar do aparente domínio tricolor, foi o Flamengo quem assustou primeiro o gol adversário. O volante Ibson cruzou, o atacante Diogo ajeitou e o lateral-esquerdo Roger, livre dentro da área, acabou cabeceando mal, facilitando a defesa de Kléber. Aos poucos, o Rubro-Negro foi tomando conta da partida, demonstrando mais vontade que o Fluminense. Nem mesmo a marcação individual de Marciel em Felipe, sempre com um jogador na sobra, era capaz de parar o craque da Gávea. Em um primeiro tempo disputado, o gol só poderia sair numa jogada de bola parada. Aos 34 minutos, Zinho cobrou falta e o zagueiro Fabiano Eller subiu entre os zagueiros para abrir o placar. Em desvantagem, o Fluminense resolveu acordar. Mas foi o Flamengo quem quase marcou em chute de Jean. A melhor oportunidade do Tricolor saiu no cruzamento do lateral-esquerdo Júnior César. Fabiano Eller, porém, tirou a bola dos pés de Edmundo dentro da pequena área. Na segunda etapa, o Flamengo voltou explorando os contra-ataques, enquanto o Fluminense partiu com tudo para tentar o empate. Diogo fez jogada individual e tocou para Jean finalizar no travessão. O mesmo Jean, diante de Kléber, chutou em cima do goleiro. O excesso de gols perdidos acabou punindo o Flamengo, que era melhor em campo. Aos 20 minutos, o zagueiro Antônio Carlos entrou pela direita e chutou por entre as pernas de Júlio César. Mas nem deu tempo para a torcida do Fluminense comemorar. Diogo rolou para Rafael, que cruzou. Jean, de carrinho, pôs o Rubro-Negro na frente novamente. O Fluminense, porém, não se entregou. Aos 25, depois de confusão dentro da área do Flamengo, Alessandro chutou e Henrique marcou contra. A decisão por pênaltis parecia inevitável. Mas, como o último clássico entre as duas equipes, as emoções foram até o final. Aos 30, Ibson tocou para Roger garantir o título do Rubro-Negro.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.