Flamengo e São Paulo ficam no empate

A 22ª rodada do Campeonato Brasileiro foi quase perfeita para os paulistas. O São Paulo deixou escapar a vitória contra o Flamengo aos 46 minutos do segundo tempo, numa cobrança de falta do lateral Anderson, que parecia defensável para o goleiro Roger. O empate por 1 a 1, no Maracanã, deixa a equipe na vice-liderança, com 42 pontos. Os são-paulinos lamentaram demais o resultado, com razão. A vitória, que seria a quinta consecutiva fora de casa, estava praticamente assegurada. E a perda desses dois pontos acaba com a possibilidade de a equipe terminar o primeiro turno como campeão, pois não conseguirá alcançar o Cruzeiro no fim de semana, que encerrará esta etapa da competição. O próximo compromisso será contra o Internacional, sábado, no Morumbi. O jogo marcou o reencontro do São Paulo com Oswaldo de Oliveira, demitido do clube há pouco menos de três meses. O treinador foi cumprimentado pelos jogadores do time paulista, mas muito vaiado pelos torcedores são-paulinos que foram ao Maracanã. O técnico Roberto Rojas escalou Ricardinho no meio-campo e deslocou o curinga Gustavo Nery para a zaga. No ataque, optou por começar com Diego Tardelli ao lado de Luís Fabiano, com Rico no banco. E a equipe começou jogando bem. A impressão era a de que venceria com tranqüilidade. Logo no início, Luís Fabiano fez boa jogada e quase abriu o placar. Diego não desperdiçou a primeira oportunidade que teve e marcou 1 a 0, num bonito chute de dentro da área. Antes do intervalo, porém, ele teve ótima chance para ampliar o placar, mas não foi feliz na finalização. O São Paulo, porém, não voltou com o mesmo ritmo para a segunda etapa e sofreu relativa pressão do Flamengo. Roger, que substituiu Rogério Ceni, suspenso, teve bastante trabalho. Ricardinho, que não jogava havia quase um mês, começou a decair de produção. E o meio-campo são-paulino não conseguiu mais controlar as ações. Só que Rojas preferiu mantê-lo na partida. O time até que teve alguns contra-ataques para definir o resultado, mas não foi tão competente como nos últimos confrontos fora de casa. O castigo foi cruel. Nos acréscimos, Anderson cobrou falta no meio do gol, só que com bastante efeito. A bola chegou a desviar na barreira e prejudicou Roger. O goleiro tocou de leve com a mão, mas não o suficiente para mandá-la para escanteio. O jogo deste domingo foi o segundo seguido em que o time sofre gol no fim. Na quinta-feira, o algoz foi a Ponte Preta, que fez o gol da vitória por 3 a 2 aos 47 minutos.

Agencia Estado,

27 de julho de 2003 | 18h04

Encontrou algum erro? Entre em contato

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.