André Fabiano/Código19/Estadão Conteúdo
André Fabiano/Código19/Estadão Conteúdo

Flamengo embarca para 'decisão' na Colômbia e torcedores hostilizam Muralha

Em meio a ofensas e palavrões, goleiro escutou até um torcedor sugerir que ele "vá para o Vasco"

Estadão Conteúdo

28 Novembro 2017 | 15h18

O Flamengo embarcou nesta terça-feira para a decisão da semifinal da Copa Sul-Americana na Colômbia. E o assunto mais uma vez foi Alex Muralha. A dois dias do jogo diante do Junior Barranquilla e sem a certeza de que estará em campo, o goleiro foi bastante hostilizado por um grupo de torcedores no Aeroporto do Galeão.

+ Confira o noticiário do Flamengo

Flamenguistas que esperavam o elenco no local mostraram apoio aos atletas, mas quando Muralha desceu do ônibus, ouviu diversos xingamentos e ameaças. Em meio a ofensas e palavrões, escutou até um torcedor sugerir que ele "vá para o Vasco". O goleiro chegou a encarar o grupo e a polícia impediu qualquer problema maior.

A pressão que já era enorme sobre Muralha se intensificou ainda mais depois da atuação na derrota de domingo para o Santos, com direito a falha clamorosa no primeiro gol do adversário. Por isso, o goleiro, que substituiu o lesionado Diego Alves, pode perder a posição na quinta para César, que não disputa um jogo oficial há dois anos. Thiago, recém-recuperado de grave lesão, também está relacionado.

"Se jogar Muralha ou César, vamos dar o mesmo apoio. Vamos sempre olhar com os mesmos olhos para qualquer um. No futebol é como na vida, a gente convive com erro todos os dias. César e Muralha têm qualidade para estar no Flamengo", declarou o volante Cuéllar em entrevista coletiva nesta terça-feira.

O técnico Reinaldo Rueda comandou treino fechado à imprensa nesta terça. Quando os jornalistas foram liberados para entrar no Ninho do Urubu, o elenco já não trabalhava. O zagueiro Rafael Vaz e o meia Éverton foram confirmados como desfalques para a decisão na Colômbia.

Depois de vencer por 2 a 1, de virada, no Maracanã, o Flamengo precisa de um empate ou derrota por um gol superior a 2 a 1 para ir à decisão da Sul-Americana. E em um ano tão oscilante da equipe, os jogadores sabem a importância que um título continental teria, até pela vaga na Libertadores.

"É muito importante conseguir essa vaga (na final), pelo elenco, pela condição de trabalho que a direção nos dá. O Flamengo tem que estar num torneio internacional. Temos que deixar os times rivais fora e procurar nossa vaga na Libertadores", comentou Cuéllar.

Mais conteúdo sobre:
futebol Flamengo Muralha Copa Sul-americana

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.