Flamengo empata com o Madureira pela Taça Rio

Na estréia do terceiro uniforme, time não realiza uma boa partida e fica no 0 a 0 no Estádio do Maracanã

Leonardo Maia, Agência Estado

29 de março de 2008 | 18h51

Os mais supersticiosos já vão dizer que a nova camisa do Flamengo não traz sorte. Na estréia do terceiro uniforme, a equipe rubro-negra não saiu de um empate sem gols contra o Madureira, que já havia derrotado Botafogo e Vasco, no primeiro turno. O ponto conquistado garante o Rubro-Negro nas semifinais da Taça Rio, enquanto o Tricolor Suburbano está matematicamente eliminado. Veja também: Com reservas, Fluminense e Botafogo fazem clássico no Rio Mesmo de olho na Copa do Brasil, Vasco joga completo Os primeiros 20 minutos foram jogados no ritmo adequado para uma preguiçosa tarde de sábado, com público reduzido no Maracanã. Precisando de um empate para garantir matematicamente a vaga na semifinal da Taça Rio, o Flamengo tocava a bola sem pressa e objetividade. O Madureira também não acalentava ambições. A preocupação maior do time do subúrbio carioca era o compromisso contra o Juventude, pela Copa do Brasil, na quarta-feira, no Rio. Como o adversário não lhe incomodava, o Flamengo resolveu jogar um pouco e acelerou o ritmo. Sempre atacando pela direita, começou a criar algumas oportunidades. Na melhor chance da primeira etapa, Leonardo Moura cruzou e Maxi, sozinho, cabeceou em cima do goleiro Renan, aos 24 minutos. Um minuto depois, Juan conduziu a bola da intermediária e chutou da entrada da área, mas Renan negou-lhe o gol. Foram os dois únicos momentos de real perigo. Como o Madureira simplesmente inexistiu no ataque, dá para se ter uma idéia da pobreza de emoção que foi o primeiro tempo. Logo no início da segunda etapa, Íbson mostrou que estava mais desperto, o que era fundamental para o Flamengo. Aos quatro minutos, o meia cruzou da direita e Marcinho cabeceou no travessão. Aos 11 minutos o gol mais feito de todo o campeonato foi desperdiçado por Juan. Maxi cruz Flamengo0Bruno; Leonardo Moura, Fábio Luciano, Ronaldo Angelim e Juan; Cristian, Kléberson, Íbson (Toró) e Renato Augusto (Diego Tardelli); Marcinho     e Maxi (Obina)Técnico: Joel SantanaMadureira0Renan; Paulo César, Jordan e Marcílio; Tiago (China), Douglas, Wagner    , Amaral (Junior Negão) e Éverton    ; Nilson Santos     e Chrys (Doriva)Técnico: Carlos TozziÁrbitro: José Barbosa LimaHorário: Maracanãou da direita, a bola encobriu o goleiro e tocou no travessão. O rebote caiu aos pés do lateral-esquerdo, que, dentro da pequena área, conseguiu isolar a bola por cima do gol vazio. O Madureira seguia fechado na defesa, tentando segurar o empate. Mesmo sem jogar muito bem , o Flamengo pressionava e levava perigo em bolas alçadas na área. Obina quase marcou de cabeça, aos 33 minutos, mas a bola passou raspando a trave de Renan. Era treino de ataque contra defesa, mas o Rubro-Negro esbarrou na boa tarde de Renan e em má sorte e não conseguiu superar a equipe suburbana. Agora, o Flamengo só volta a campo no domingo, dia 6, no clássico contra o Vasco.

Tudo o que sabemos sobre:
Estadual do RioFlamengoMadureira

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.