Reprodução/Site oficial do Flamengo
Reprodução/Site oficial do Flamengo

Flamengo fecha contrato com o Maracanã até 2020 e pode fazer mudanças no estádio

Clube continua com projeto de assumir o Maracanã de forma definitiva, segundo o presidente Bandeira de Mello

Estadão Conteúdo

12 Junho 2018 | 09h46

Após reunião do seu Conselho Deliberativo, o Flamengo anunciou o novo contrato com a concessionária que administra o Maracanã. O clube, que esperava um vínculo até 2022, fechou acordo até o fim de 2020. Pelo acerto, o time fará ao menos 25 jogos por ano no tradicional estádio carioca.

+ Juan, Pará e Geuvânio treinam no Flamengo e podem voltar contra o Palmeiras

+ 'Vamos aproveitar a parada da Copa para voltar ainda melhor', diz técnico do Fla

O contrato já será válido para esta temporada e tem duração até 31 de dezembro de 2020. Neste ano, o time deve fazer ao menos mais 11 jogos no local. Pelo novo vínculo, o time terá liberdade para "dar a sua cara ao estádio", como define a diretoria do clube. Assim, os dirigentes estudam retirar os assentos dos setores Norte e Sul, onde geralmente ficam as organizadas. Além disso, podem acontecer mudanças visuais no estádio.

"Nosso pensamento é de dar um estádio com a cara do Flamengo ao nosso torcedor. Queremos acima de tudo que a nação se sinta em casa, que jogue junto, que vença com a gente. O Flamengo e o Maracanã chegaram a uma convergência que permitiu esse acordo, o que não significa que o clube não segue com o sonho do seu estádio próprio, que pode ser inclusive o Maracanã", ponderou Bruno Spindel, CEO do clube carioca.

Segundo o Flamengo, o novo acordo prevê que a receita da bilheteria e do programa de sócio-torcedor fique integralmente com o clube. O Flamengo terá participação na comercialização de camarotes, alimentos e bebidas. Além disso, o clube poderá fazer ações de exploração comercial e de marketing no campo, na zona mista e no vestiário.

Nos espaços VIP, o Flamengo terá direito a dez camarotes no setor Oeste e poderá usar o camarote Bossa Nova, que é o maior do estádio, no setor Leste. O clube ainda vai receber 40% da receita de 48 camarotes do local. A concessionária, por sua vez, vai explorar comercialmente os espaços do nível acima dos camarotes para cima.

Por outro lado, o clube carioca vai arcar com toda a operação do estádio, o que inclui: venda de ingressos, segurança, acesso, limpeza, orientação de público, brigadistas, postos médicos, ambulâncias, manutenção, elétrica, hidráulica, internet e elevadores.

"Nós e a concessionária Maracanã aprendemos muito ao longo do processo. Este novo contrato vai permitir que o Flamengo jogue no campo que sempre foi considerado como a casa da nossa torcida, em condições muito mais favoráveis que as atuais. Isso tudo sem abrir mão do projeto de assumir o Maracanã de forma definitiva, assim que estiver definido o novo marco regulatório", ressaltou o presidente do Flamengo, Eduardo Bandeira de Mello.

 

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.